23.3 C
Rio Branco
29 julho 2021 3:46 pm
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Empresa abre trabalho para mulheres em Campo Grande

Vagas de trabalho é preferencial às Mulheres. E será para qualquer função, mesmo as ditas masculinas.

POR LÚCIO BORGES ORTEGA - CORRESPONDENTE MS

CAMPO GRANDE (MS) – A primeira fabrica de refrigerantes de Campo Grande e na região Centro Oeste, a quase 50 anos, a Coca-Cola FEMSA Brasil, que já foi território só de homens, viu com o passar do tempo a força das Mulheres e que com a modernidade, deveria diversificar o gênero nos postos de trabalho da empresa. O empreendimento, que já conta com funcionárias em diversos setores, quer ampliar a participação feminina e hoje está oferecendo vagas de trabalho na Capital, exclusivas para as Mulheres. E será para qualquer função, mesmo as ditas masculinas.

A direção da empresa ressalta, que a unidade de Campo Grande já conta com mulheres exercendo diversas funções, “entre elas analista de RH, executivas de vendas, coordenadoras, vendedoras, enfermeiras, sem falar nos cargos de liderança a exemplo da Chefe de Administração e Finanças Adriana Sanchez, uma das posições mais importantes na unidade”, anunciam exaltando a colocação das mulheres na empresa.

Conforme anuncio da empresa, as oportunidades são para as funções de promotor de vendas, conferente, operador de empilhadeira, ajudante operacional e auxiliar de motorista na unidade da Capital. “A seleção é voltada para a presença feminina na empresa, mas se houver homens até também podem participar. Para concorrer, os interessados precisam ter o ensino médio completo, entre outras qualificações dependendo da posição”, explica direção.

As interessadas devem primeiro realizar um cadastro para poder serem chamadas. As inscrições para todas as oportunidades podem ser feitas pelo Vagas.com, no link https://trabalheconosco.vagas.com.br/femsa.

Trabalhadora da empresa no batente ‘pesado’ (Foto: Divulgação FEMSA)

Empresa em Campo Grande

A Coca-Cola FEMSA Brasil em Campo Grande está situada na região do Bairro Vila Albuquerque, na saída para São Paulo, em uma área total de 35.914,12 m². Operando com três linhas de produção, a companhia segue fortemente comprometida com uma operação cada vez mais sustentável, com iniciativas que contribuam para o crescimento das comunidades nas quais está inserida e com o desenvolvimento integral dos cerca de 500 colaboradores próprios e terceirizados que atuam na unidade.

O fundador Milton Insuela Pereira, era técnico em mecânica, funcionário da Refrigerantes Bauru S/A. Em 1972, juntamente com o economista Florindo Mituo Gondo, abriram em Campo Grande, a primeira fábrica de Coca-Cola, no então estado de Mato Grosso.

A fábrica, localizada na BR 163, saída para São Paulo, iniciou suas atividades em 04 de agosto de 1972, com a produção dos refrigerantes Coca-Cola e Fanta. “Foram nove dias de felicidade para a dupla! Contudo, no dia 12 de agosto de 1972, houve um grande temporal na cidade e a recém-inaugurada fábrica acabou sendo destelhada e semi-destruída em poucos minutos. Máquinas, matérias-primas e 1.400 sacos de açúcar foram expostos à chuva. Prejuízo total”, disse o industrial quando de uma entrevista para informativo da FIEMS – Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul.

Milton Insuela Pereira e seu inseparável amigo e sócio Florindo Mituo Gondo

Depois da fábrica consolidada em Campo Grande, o grupo Refrigerantes do Oeste S/A também se instalou em Cuiabá. No fim dos anos 90, após importar uma linha de produção para a fabricação de garrafas (tipo PET), o Milton Insuela teve que tomar uma das mais importantes decisões da sua vida empresarial. Se tornar sócio da subsidiária da fabricante de Coca-Cola no Brasil ou vender a sua indústria. Optou pela última.

Milton Insuela Pereira faleceu recentemente, em 26 de maio de 2021, deixando a viúva Maria Gecilda Conti Pereira e os filhos Mauro e Milton Junior, e netos. Outra filha, a médica Silmara Conti Pereira Alberti, faleceu no final dos anos 90.

Os artigos são de responsabilidade exclusiva dos autores. É permitida sua reprodução, total ou parcial desde que seja citada a fonte.