31.3 C
Rio Branco
1 agosto 2021 2:11 pm

Marcio Bittar chama CPI da Covid de mentirosa;”nasceu com desculpa da vacinação”

Senador pelo Acre diz que Bolsonaro enfrenta crise de cabeça erguida e que deputado Ricardo Barros é inocente

POR TIÃO MAIA, PARA CONTILNET

Falando na condição de vice-líder do governo Jair Bolsonaro no Senado Federal, o senador Márcio Bittar (MDB-AC) qualificou a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga possíveis omissões do Governo Federal no combate à pandeia do coronavirus, como a “CPI da Fake News, a CPI que nasceu de uma mentira”. A declaração do senador foi feita ainda na noite desta segunda-feira (05) em entrevista à rede de TV CNN Brasil, em Campo Grande (MS), onde ele cuida de um parente acometido por doença. Bittar vem trabalhando de forma remota a partir do Mato Grosso do Sul.

Márcio Bittar falou sobre os rumos da CPI e dos depoimentos marcados para acontecerem nesta terça-feira (06). Quando indagado pelo jornalismo da emissora sobre o que esperar da CPI, o senador pelo Acre disse o seguinte: “É a primeira entrevista que eu concedo sobre a CPI e eu não poderia começar sem a afirmação de que ela é uma CPI da Mentira. Essa CPI nasceu mentindo. Nasceu dizendo que iria apurar o problema da falta de oxigênio em Manaus. Era uma mentira. A verdade é que os sete senadores que dominam a CPI – e eu quando os assisto me envergonho da ignorância e da truculência porque quando os depoimentos são aquilo que eles não querem ouvir, salta aos olhos que os sete senadores só aceitam e incentivam os depoimentos que estejam alinhados com eles”.

De acordo com o senador, a CPI do Senado é da mentira porque ela, segundo ele, nasce com a desculpa a vacinação e inventar alguma razão para criminalizar o presidente da República. “Mas isso não vai acontecer, porque a política sanitária de combate à doença em execução no país tem também a responsabilidade dos governos estaduais e municipais”, disse.

Márcio Bittar também saiu em defesa do líder do Governo na Câmara, deputado Ricardo Barros (PP-PR), citado como envolvido na aquisição da vacina indiana Covaxin, a preços supermajorados e cujo contrato só não teria sido executado graças às denúncias do deputado Luis Miranda (DEM-DF) e seu irmão Luis Carlos Miranda, servidor do Ministério da Saúde. O deputado Ricardo Barros deve falar na CPI nesta terça-feira (06).

“Eu conheço o deputado Ricardo Barros e tenho certeza de que ele não está envolvido em coisas irregulares. O que existe são ilações. Eu fui relator do Orçamento e, nesta condição, recebi milhares de pessoas interessadas em verbas públicas. Numa dessas reuniões, se houver um mau-caráter, ele sai dizendo que recebeu proposta para alguma irregularidade. Eu sei bem como é isso”, disse o senador.

Para Márcio Bittar, o presidente Jair Bolsonaro tem enfrentado de cabeça erguida e com apoio popular os desafios da pandemia. “Somos o quarto país do mundo em vacinados, avançamos com o PIB, anunciamos investimentos recordes no agronegocio, através do Plano Safra;. Não há tempo a perder”, disse o senador, ao acusar os governadores do chamado Consórcio do Nordeste de serem blindados pelo sete senadores da CPI que são contra o Governo. “Eles compraram respiradores que nunca foram entregues mas a CPi não quer saber disso”, afirmou Bittar.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
É permitida sua reprodução total ou parcial desde que seja citada a fonte. Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.