41.7 C
Rio Branco
21 setembro 2021 12:05 pm

Após Nordeste, Lula deve voltar a visitar a Amazônia e pode ter missão ‘especial’ no Acre

No Acre, ex-presidente é esperado com a expectativa de poder convencer Jorge Viana a disputar o Governo

POR TIÃO MAIA, PARA CONTILNET

Última atualização em 24/08/2021 11:18

Após uma viagem a cinco estados do Nordeste do país, a próxima viagem do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva, na condição de pré-candidato do PT à presidência da República, deverá ser à Amazônia. Em Manaus, capital do Amazonas, o diretório local do PT anuncia a visita para outubro e já organiza nomes que devem ser apresentados ao ex-presidente em busca de seu apoio com vistas às eleições de 2022.

“Para o Acre, ainda não temos uma data definida para a agenda dele. Mas que ele virá ao Acre, isso é certo”, disse o presidente regional do PT no Acre, Cesário Braga. A propósito, no Acre Lula não é um desconhecido. Quando ainda presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo, época em que nem sequer havia adotado o apelido “Lula” como sobrenome, nos anos 80, Lula já tinha o Acre como referência. Na época, visitou o Estado em pelo menos duas vezes – a primeira delas, em julho de 1980, para a missa de 7º Dia de falecimento do sindicalista Wilson Pinheiro de Souza, então presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Brasiléia, assassinado de forma misteriosa dentro da sede da entidade.

Foi, a partir de um discurso feito em Brasiléia, que Lula conheceria a prisão, pela primeira vez. “Estou cansado de andar o país enterrando companheiros. Penso que já passa da hora da onça beber água”, disse o então sindicalista sobre um caminhão cercado de companheiros como Chico Mendes, o futuro deputado federal João Maia, o futuro prefeito de Campinas, Jacó Bittar, e outros.

Mal encerrou o discurso, os trabalhadores que participavam daquele ato público emboscaram e prenderam o gerente de fazenda Nilo Sérgio de Oliveira, o “Nilão”, que foi acusado de ser o mandante ou interessado na morte de Wison Pinheiro. Mesmo negando participação no crime, “Nilão” foi julgado culpado e condenado à morte por “tribunal” de trabalhadores: foi morto com mais de 50 tiros. “Foi difícil saber quem não atirou”, disse, ao se interrogado pela polícia, o sindicalista Elias Rozendo, primeiro candidato a vice-governador do Estado, nas eleições de 1982, já falecido.

Com a morte do fazendeiro, as autoridades da época, em plena vigência da ditadura militar, indiciaram Lula e os participantes daquele ato público na Lei de Segurança Nacional. Todos foram para a cadeia. É por causa disso que Lula nunca tirou o Acre de seu radar, ele repete isso em suas entrevistas.

O PT local espera Lula com muita expectativa porque espera que ele possa, por exemplo, convencer o ex-senador e ex-governador Jorge Viana a disputar às eleições em 2022 para o Governo do Estado. Viana não se mostra disposto a concorrer ao Governo e sim ao Senado, mas muitas alas internas do PT local acham que uma possível eleição dele para este cargo, contribuiria em muito pouco para que o Partido e seus aliados possam voltar ao Governo em curto prazo.
Lula não vem a Amazônia desde 2018. Poucos antes de receber condenação pela Operação Lava Jato, Lula tinha agenda no Norte do país. Porém, desde sua prisão, o ex-presidente não vem à região. A vinda deve ocorrer logo após o fechamento de sua agenda no Nordeste.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
É permitida sua reprodução total ou parcial desde que seja citada a fonte. Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.