25.3 C
Rio Branco
15 setembro 2021 9:51 pm

Com feto cardiopata e com má-formação, acreana grávida precisa viajar com urgência para salvar vida do filho; ajude

Os interessados em colaborar com a família podem realizar um PIX para 68984167794, no nome da mãe, Laiane Vandressa da Silva Souza

POR NANY DAMASCENO, DO CONTILNET

Última atualização em 15/08/2021 09:53

O pequeno Yan ainda nem nasceu e já enfrenta uma batalha pela vida fora da barriga de sua mãe, Laiane Vandreasa.

A jovem foi pega de surpresa ao descobrir, em uma ultrassonografia de rotina, que o feto com pouco mais de 28 semanas na época, estava com onfalocele, uma má-formação da parede abdominal no bebê, que normalmente é identificada ainda durante a gravidez e que se caracteriza pela presença de órgãos, como intestino, fígado ou baço, fora da cavidade abdominal e recobertos por uma fina membrana.

Vandressa conta que havia realizado uma ultrassonografia particular em que não foi detectada a má formação.

“Eu fiz uma ultrassonografia particular e o médico disse que estava tudo bem. Quando fui fazer no serviço público o médico viu a onfalocele. Retornei no médico particular e ele confirmou que realmente tinha”, conta a mãe.

Ainda de acordo com Laiane, ela foi encaminhada para fazer um ecocardiograma fetal, onde foi detectada também uma doença cardiovascular. “Fiquei sem chão ao descobrir que não era só a onfalocele, mas que essa outra condição não permitia que eu pudesse ter o meu filho aqui”.

Segundo laudo médico Yan nascerá prematuro e cardiopata, e não pode nascer no Acre, já que por conta da gravidade, vai precisar de uma cirurgia de emergência imediatamente após o parto, e essa cirurgia não está disponível no estado. A mãe precisa viajar com urgência em busca de lutar pela vida do seu filho.

“No último exame que fiz a médica disse que preciso viajar o mais rápido possível, pois tenho risco de parto prematuro e também vai precisar de uma UTI cardiológica, coisa que não tem no nosso estado”, lamenta a mãe, que já buscou a Secretaria de Saúde do Estado (Sesacre) com o pedido para Tratamento Fora de Domicílio e aguarda pelo retorno.

Diante do diagnóstico e da urgência do caso, a família se mobilizou nas redes sociais com o “Desafio Pix Solidário de R$ 1”, para arrecadar dinheiro para arcar com as despesas fora do estado.

“Uma amiga sugeriu a ideia do pix solidário, como estou com 31 semanas e a qualquer momento posso entrar em trabalho de parto, começamos a divulgar e pedir para que as pessoas compartilhassem para nos ajudar nessa causa. Graças a Deus estamos sendo abençoados e recebendo muitas mensagens de apoio. Não tenho ideia de quanto tempo vou passar fora, mas quero voltar com o meu filho bem”, diz a mãe.

Os interessados em colaborar com a família podem realizar um PIX para 68984167794, no nome da mãe, Laiane Vandressa da Silva Souza.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
É permitida sua reprodução total ou parcial desde que seja citada a fonte. Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.