30.3 C
Rio Branco
24 novembro 2021 4:03 pm
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Petistas já admitem possível chapa entre Jorge Viana para o Senado e Sérgio Petecão para o Governo

POR THIAGO CABRAL, DO CONTILNET

É possível

Nos últimos dias andei conversando com alguns petistas de carteirinha, daqueles que “vivem” o partido, e o que escutei é que hoje, dentro da sigla, já se admite uma chapa composta por Jorge Viana (PT) para o Senado e Sérgio Petecão (PSD) para o Governo do Estado em 2022.

Mudança

Essa mudança de postura é devido principalmente ao fator da conjuntura nacional. Se em um passado recente, os petistas do Acre achavam essa dobradinha impossível de acontecer, agora a coisa mudou de figura. Com as eleições se aproximando, e com Lula cada vez mais forte, é hora de apelar para o pragmatismo.

Ideologia

Se inicialmente o que separava os petistas de Petecão eram questões ideológicas, como o fato do senador ser de um partido de centro-direita, e em algum momento ter flertado com o bolsonarismo, atualmente essas questões parecem não ter tanta relevância. Isso se deve muito ao fato de que, nacionalmente, o PSD está cada vez mais próximo do PT.

Presidência

Publicamente, o presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab, tem dito que o pré-candidato do partido à presidência é o recém-filiado e presidente do Senado, Rodrigo Pacheco. Nos bastidores, a história é diferente, existe um forte burburinho de que o PSD pode ficar a vaga de vice na chapa de Lula (PT).

Nomes

O nome mais cogitado dentro do PSD para ganhar a vaga de vice do petista é o do ex-adversário de Lula e ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin. O problema é que apesar de já ter pedido a desfiliação do PSDB, o ex-tucano ainda não bateu o martelo sobre a sua ida para o PSD. Outros nomes que foram ventilados dentro do PSD para a vice de Lula foram o do próprio senador Rodrigo Pacheco e o do ex-ministro da Fazenda de Michel Temer, Henrique Meireles, que saiu do MDB e foi para o PSD no início deste ano.

Projeto nacional

O petistas do Acre argumentam que seria mais importante para Jorge Viana ocupar uma vaga no Senado do que voltar para o Governo. Em Brasília, JV, que já foi vice-presidente do Senado, poderia ajudar muito mais em um possível novo governo Lula. Outro fator que vem pesando na escolha é o fato da disputa para o Senado aparentemente ser mais tranquila para o petista.

Jenilson

Um importante personagem nas eleições do ano que vem, e que não pode ser esquecido, é o deputado estadual Jenilson Leite (PSB), que é pré-candidato ao Governo, é do campo progressista, assim como JV e o PT, e tem uma boa relação com Petecão. As decisões sobre a composição da principal chapa oposicionista devem levar em conta também a participação do deputado.

Podemos

Na complicada previsão sobre alianças para o ano que vem, mais um partido poderá lançar voo solo, o Podemos. O líder da legenda na Aleac, o deputado Fagner Calegário, disse hoje na Assembleia que o partido deve lançar candidatos para o Senado e para o Governo.

Fator Moro

Essa guinada dentro do Podemos, que no Acre é liderado pelo ex-deputado Ney Amorim, e faz parte da base de Gladson, deve-se a filiação do ex-juiz e ex-ministro da Justiça, Sergio Moro à sigla. Moro, que é pré-candidato à presidência da República, está de olho nos palanques estaduais, e nessa conta, o Acre pode ser mais um.

13º na conta

O presidente da Aleac, o deputado Nicolau Júnior (PP), anunciou nesta quarta-feira (17) que o 13º dos servidores da Casa foi antecipado e já está na conta. A medida, segundo o presidente, acontece pelo segundo ano consecutivo e tem por objetivo evitar aglomerações no comércio no mês de dezembro.

Os artigos são de responsabilidade exclusiva dos autores. É permitida sua reprodução, total ou parcial desde que seja citada a fonte.