29.3 C
Rio Branco
1 julho 2022 1:08 pm
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Morte de servidora do TRT em Manaus: o que se sabe e o que falta esclarecer sobre o caso

O corpo de Silvanilde Ferreira foi encontrado pela filha, no sábado (21), no apartamento onde as duas moravam. Mais de dez pessoas já foram ouvidas pela polícia

POR G1

Quatro dias após o assassinato de Silvanilde Ferreira, de 58 anos, servidora do Tribunal Superior do Trabalho (TRT), o caso segue cercado de mistérios. O corpo da vítima foi encontrado pela filha, no sábado (21), no apartamento onde as duas moravam, no bairro Ponta Negra, Zona Oeste de Manaus.

Na segunda-feira (23), Stephanie Veiga, filha da servidora, prestou depoimento à polícia, e fez apelo para que o culpado da morte da mãe seja encontrado. O caso está sendo investigada pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).

O corpo de Silvanilde foi enterrado nessa terça-feira (24), durante cerimônia realizada no Cemitério Recanto da Paz, em Iranduba (distante 25 quilômetros de Manaus).

Veja abaixo o que se sabe e o que ainda falta esclarecer sobre a morte da servidora:

  1. Onde e como ela foi morta?
  2. O autor do crime roubou objetos do apartamento?
  3. Quem tinha acesso ao apartamento?
  4. Onde a filha estava no momento do crime?
  5. Alguém já foi preso?
  6. Quem são os suspeitos do crime?

Onde e como ela foi morta?

A servidora foi morta dentro do próprio apartamento, na Ponta Negra, bairro de alto padrão situado na Zona Oeste de Manaus. De acordo com agentes do Departamento de Polícia Técnico-Científico (DPTC), a vítima foi golpeada com 12 facadas, em um único cômodo da casa.

Em depoimento à polícia, a filha da vítima contou que encontrou a mãe deitada de bruços em uma poça de sangue, por volta das 22h20 de sábado.

O autor do crime roubou objetos do apartamento?

Ainda durante o depoimento, Stephanie contou que não havia sinais de arrombamento e nenhum objetivo havia sumido do apartamento, apenas o celular da mãe.

A versão foi confirmada pela perícia, que não encontrou sinais de que o autor do crime tenha tentando roubar pertences do apartamento.

Quem tinha acesso ao apartamento?

Apenas Stephanie e Silvanilde. Segundo a polícia, o imóvel possui fechadura eletrônica que permitia acesso ao imóvel apenas com as digitais da mãe e da filha.

Stephanie Veiga e a mãe, Silvanilde Ferreira, encontrada morta em Manaus.  — Foto: Reprodução/Facebook
Stephanie Veiga e a mãe, Silvanilde Ferreira, encontrada morta em Manaus. — Foto: Reprodução/Facebook

Já para entrar no condomínio, qualquer morador pode enviar um QR Code ao visitante para liberar o acesso na portaria do prédio.

Onde a filha estava no momento do crime?

A jovem informou que estava passeando com o namorado, no momento do crime. Por isso, segundo o depoimento, ela pediu para que o porteiro fosse até a casa delas, ter notícias da mãe. Elas duas moravam há cerca de dez anos no apartamento.

Alguém já foi preso?

Até o momento, a Polícia Civil ainda não prendeu ninguém envolvido no crime.

Quem são os suspeitos do crime?

Até o momento, a polícia ainda não divulgou nenhuma informação sobre suspeitos ou linha de investigação em torno do assassinato da servidora. Por meio da assessoria, a DEHS tem afirmado que está apurando o caso, mas que não pode passar maiores detalhes para não comprometer as investigações.

Mais de dez pessoas, entre vizinhos, a filha e o síndico do condomínio, já foram ouvidas pela polícia. O registro do circuito interno de câmera de segurança do condomínio também já foi entregue à equipe de investigação.

Os artigos são de responsabilidade exclusiva dos autores. É permitida sua reprodução, total ou parcial desde que seja citada a fonte.