20 de fevereiro de 2024

Concurso Nacional Unificado: mudança na avaliação da área específica? Entenda!

Cresce a expectativa em torno da realização do Concurso Nacional Unificado e um evento realizado nesta quarta-feira, 29 de novembro, traz importantes detalhes sobre o certame!

Trata-se do seminário organizado pelo Ministério da Gestão e Inovação (MGI) com o tema: “Concursos públicos: fazer diferente para fazer a diferença”.

O evento conta com a participação da ministra Esther Dweck, o secretário de Gestão de Pessoas do MGI, Celso Cardoso Jr, e autoridades de diversos órgãos como a Adnovacia-Geral da União (AGU), a Controladoria-Geral da União (CGU), entre outros.

Na abertura do seminário, a ministra Esther Dweck enfatizou que o Concurso Nacional Unificado irá valorizar o saber do “Ethos Público”, ou seja, a ética do serviço público. Este, segundo Esther Dweck, será um dos principais requisitos para ingressar nos cargos públicos.

Além disso, a ministra explicou que a ideia do certame é selecionar servidores de forma mais abrangente dentro das áreas de atuação em detrimento de servidores com atuações em áreas muito específicas. De acordo com Dweck, os servidores adquirirão os conhecimentos especializados durante a atuação no trabalho.

“É durante o trabalho que você vai descobrir o que é mais importante para suas atividades. A maior parte das pessoas não vai ficar no mesmo lugar. Mesmo dentro do órgão, elas vão mudar de áreas, fazer outras coisas. Então o grande conhecimento necessário para o trabalho vai ser adquirido durante o trabalho”, destacou a ministra.

Nesse contexto, a secretária de Integridade Pública da Controladoria-Geral da União (CGU), Izabela Correa, reforçou que haverá treinamento dos novos servidores e este será voltado para o Ethos Burocrático, corroborando a fala da ministra Esther Dweck.

“Nós estamos debatendo aspectos do Ethos Burocrático, e nós vamos fazer esse corpo burocrático após a entrada no serviço público. Nós também faremos processos de treinamento após a entrada desses servidores”, disse a secretária.

Tanto as declarações da ministra do MGI quanto da secretária da CGU podem indicar que as provas do Concurso Nacional Unificado serão compostas por conteúdos mais abrangentes e menos específicos, além de reforçar os motivos pelos quais as 6.640 vagas disponibilizadas serão distribuídas em 8 Blocos Temáticos.

O objetivo dos blocos é separar os cargos por áreas para que os candidatos ao certame possam se inscrever no bloco com os cargos que mais se identificar.

Sobre isso, é importante lembrar que o candidato poderá realizar apenas uma inscrição no concurso, em que deverá escolher um bloco temático e elencar, em ordem de prioridade, os cargos que mais deseja.

Confira, a seguir, a lista atualizada de como serão distribuídos os cargos dentro dos 8 blocos temáticos criados!

Como serão distribuídos os cargos do Concurso Nacional Unificado?

Conforme já amplamente divulgado pelo governo federal, a distribuição das 6.640 vagas será realizada por blocos temáticos, que serão grupos abrangendo diversos cargos dentro de uma mesma área.

De acordo com o secretário José Celso Cardoso Jr, os blocos temáticos e seus conteúdos devem ser debatidos em reunião com a banca Cesgranrio na próxima quinta-feira, 30 de novembro. Dessa forma, é possível que ocorram algumas alterações.

No entanto, José Celso confirmou que a segmentação continuará sendo feita em 8 blocos temáticos.

É importante destacar que alguns órgãos aderiram ao certame após a segmentação dos blocos temáticos e, dessa forma, ainda não estão oficialmente inseridos nos blocos.

Veja, na íntegra, o que disse o secretário:

Bloco 1 – Administração e Finanças Públicas

O primeiro bloco temático do Concurso Nacional Unificado irá ofertar as vagas de nível superior destinadas à Administração Pública e Setores Econômicos do Poder Executivo Federal.

Assim, as 340 vagas destinadas a este segmento serão distribuídas entre os seguintes órgãos e entidades:

  • MGI – Ministério de Gestão e Inovação em Serviços Públicos: 150 vagas;
  • MF – Ministério da Fazenda: 40 vagas;
  • MPO – Ministério do Planejamento e Orçamento: 100 vagas;
  • MDIC – Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços: 50 vagas.

Bloco 2 – Agências Reguladoras e Infraestrutura

O segundo bloco é referente às Agências Reguladoras e órgãos relacionados à Infraestrutura, além de abarcar Setores Econômicos.

Serão 405 vagas, distribuídas entre os órgãos abaixo:

  • ANTAQ: 30 vagas;
  • ANEEL: 40 vagas;
  • ANS: 35 vagas;
  • MGI (Analista de Infraestrutura): 300 vagas.

Bloco 3 – Agricultura e Meio Ambiente

Os setores de Agricultura e Meio Ambiente integram o terceiro bloco temático do Concurso Nacional Unificado. Aqui, são 942 vagas de nível superior, distribuídas entre as seguintes Pastas:

  • MAPA: 200 vagas;
  • INCRA: 742 vagas.

Bloco 4 – Educação, Ciência, Tecnologia e Inovação

O quarto bloco é referente aos setores de Educação e Ciência do Poder Executivo Federal. Este é o segundo maior grupo, abrangendo 426 vagas de nível superior nos seguintes órgãos:

  • INMET: 80 vagas;
  • MCTI: 296 vagas;
  • INEP: 50 vagas.

Bloco 5 – Políticas Sociais, Justiça e Saúde

O quinto bloco temático aborda as Políticas Sociais, Justiça e Saúde. Este é o maior grupo em número de vagas ofertadas, com 1.170 oportunidades de nível superior.

Veja quais são os órgãos e entidades relacionados:

  • MGI (ATPS): 500 vagas;
  • Funai: 350 vagas;
  • Ministério da Saúde: 220 vagas; e
  • Ministério da Justiça: 100 vagas.

Bloco 6 – Trabalho e Previdência

O sexto bloco temático é o único que abrange apenas uma área: Trabalho e Previdência. São 940 vagas de nível superior, distribuídas da seguinte forma:

  • MTE (AFT): 900 vagas; e
  • Previc: 40 vagas.

Bloco 7 – Dados, Tecnologia e Informação

A área de Dados, Tecnologia e Informação é destinada aos concurseiros da área de T.I. e disponibilizará 894 vagas, assim distribuídas:

  • IBGE: 595 vagas;
  • MGI (ATI): 300 vagas.

Bloco 8 – Nível médio

Por fim, o oitavo e último bloco temático irá abranger as 692 vagas destinadas aos cargos de nível médio, autorizados para os seguintes órgãos e entidades:

  • IBGE: 300 vagas;
  • MAPA: 240 vagas; e
  • Funai: 152 vagas.

Cargos que ainda não possuem bloco temático

Apesar da distribuição de cargos acima, diversos órgãos aderiram ao Concurso Nacional Unificado após a segmentação por blocos.

Dessa forma, muitos cargos ainda não constam oficialmente em nenhum dos blocos temáticos propostos pelo governo federal.

Confira quais cargos ainda estão sem bloco temático:

  • Advocacia-Geral da União (AGU): 400 vagas;
  • Ministério dos Direitos Humanos e Cidadania (MDHC): 40 vagas;
  • Ministério da Educação: 70 vagas; e
  • Ministério da Cultura: 50 vagas

Resumo do Concurso Nacional Unificado

  • Situação: banca definida
  • Banca: Cesgranrio
  • Vagas: 6.640
  • Cargos: diversos
  • Escolaridade: níveis médio e superior
  • Salários iniciais: até R$ 22,9 mil (cargo: AFT)
  • Este será o primeiro edital do Concurso Nacional Unificado
PUBLICIDADE