20 de fevereiro de 2024

Número de animais mortos por atropelamento em rodovias do Acre aumenta mais de 94% em 2023

A PRF-AC deu início nesta segunda-feira (18) à Operação Rodovida

O número de animais mortos por atropelamentos nas rodovias acreanas aumentou 94,1% em 2023. Os dados são da Polícia Rodoviária Federal (PRF-AC). De acordo com a instituição, esse aumento tem relação com o desmatamento clandestino, queimadas irregulares e a caça predatória.

Em 2022, o número total de atropelamentos de animais foi 17, já neste ano, até meados de dezembro, esse total subiu para 33, nas BRs-364 e 317. Segundo a PRF, o aparecimento de animais silvestres nas pistas se dá em virtude de estarem buscando refúgio.

As capivaras estão entre os animais silvestres que mais são atropelados/ Foto: Julio César de Souza/Arquivo pessoal

O aumento também se deu no número de resgates de animais nas rodovias do Acre. Em 2022, a PRF resgatou 177. Neste ano, o número subiu 215, um  aumento que corresponde a 22%.

Com relação às mortes, a capivara é o animal silvestre que mais morre atropela nada nas estradas acreanas. Já os bois, cavalos e cachorros estão entre os que mais são resgatados. O levantamento foi realizado a pedido do G1 Acre.

Operação Rodovida

Com o intuito de conscientizar acerca de acidentes nas rodovias federais, a PRF-AC deu início nesta segunda-feira (18) à Operação Rodovida. O lançamento aconteceu na unidade Unidade Operacional de Fiscalização da BR-364, em Rio Branco, e teve a participação a Agência Reguladora dos Serviços Públicos do Estado do Acre (Ageac), Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (RBTrans) e Serviço Social do Transporte e o Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Sest/Senat).

A operação acontece de 18 de dezembro, até 18 de fevereiro de 2024, englobando os feriados de Natal, Ano Novo, Carnaval e férias escolares.

Serão realizadas as ações simultâneas, com foco na prevenção de acidentes, como o enfrentamento à embriaguez ao volante, controle da velocidade, ultrapassagens proibidas, reforço do uso do cinto de segurança, dispositivos de retenção para crianças e orientação contra o uso de telefone celular.

PUBLICIDADE