20 de fevereiro de 2024

Proprietária de agência de viagens desaparece, e acreanos têm prejuízo de mais de R$ 10 mil

Acreanos relatam prejuízos de mais de R$ 10 mil reais

A Agência Safyra Viagens, sediada em Rio Branco, está no centro de uma polêmica que envolve o desaparecimento de sua proprietária, Saionagela Barreto, e denúncias de prejuízos financeiros significativos feitos pelos clientes nas redes sociais.

O caso contém semelhanças com a polêmica de outra empresa acreana conhecida como Paiakam Turismo, acusada por mais de 100 clientes por aplicar golpes de vendas de pacotes de viagens, a exemplo da Hurb e a 123 milhas.

Em suas redes sociais nesta quarta-feira (20), a influenciadora e jornalista Lília Camargo relatou que comprou uma viagem para esse final de ano com destino a Porto Seguro (BA) para as festividades, mas desde semana passada não consegue obter contato com a dona da Agência Safyra Viagens.

Lilia Camargo usou as redes sociais para denunciar o caso/Foto: reprodução

“Objetivo desse story não é expor ninguém, já adianto, mas sim preocupada com essa situação. Trazer esclarecimento às pessoas que estão sendo prejudicadas sobre o desaparecimento, sumiço, ou como querem chamar da Sayonara de Labarreto, que é proprietária da agência Safyra Viagens. Para quem me acompanha nas redes sociais, sabe que eu divulguei essa agência de viagens aqui por muito tempo, mais de um ano, nunca tive qualquer problema sobre essa agência, nunca me reclamaram nada, mas nesse final de mês de dezembro, inclusive, eu comprei passagens aéreas com ela e outras pessoas também para esse final de mês e ela simplesmente sumiu. Essa situação causa muita estranheza e chego a pensar que possa ter ocorrido algo com ela porque é o tipo de pessoa que eu nunca esperei, né?”, relatou a jornalista.

Em outro trecho, Lilia revela que o prejuízo só com as passagens pagas chegam a R$ 5 mil, sem contar os hoteis que já foram pagos.“Já fui na loja da agência dela, que tinha espaços físicos espalhados pela cidade, sempre pagou muito direitinho e do nada, simplesmente ela desapareceu. Desativou as redes sociais, inclusive, a rede social da agência e a dela pessoal, os números de contato de WhatsApp, os três, ninguém responde, não chegam as mensagens, não atende telefone, e tá todo mundo assim com os cabelo em pé porque não sabe o que vai ser”, afirmou.

A proprietária (esquerda) estaria desaparecida/Foto: reprodução

“Só nessa passagem aí a gente gastou um pouco mais de 5 mil reais pra nós dois. E fora essa, a gente também pagou um hotel lá em Porto Seguro, que também não tem reembolso. Então, já é outro prejuízo. Também tinha comprado uma outra passagem aérea com ela pra Maceió, para junho do ano que vem, com meus filhos, né? Com nossos filhos. Eu, meu esposo, o filho, a filha dele e o meu filho. Quatro pessoas. Foram R$ 11 mil que passamos pra ela”, acrecenta jornalista.

No início da tarde desta terça-feira, Camargo afirmou que a empresária está vendendo os objetos da agência por meio de pessoas conhecidas e que vai procurar a delegacia – orientando os clientes a fazerem o mesmo:

Outra família acreana, composta por um casal e três crianças, relatou ao ContilNet nesta quarta-feira (20) ser mais uma vítima dos problemas envolvendo a Safyra Viagens. Com planos de uma viagem ao Nordeste, mais especificamente para Fortaleza (CE), com partida prevista em 20 de janeiro e retorno em 30 do mesmo mês, a família viu seus sonhos de férias se transformarem em pesadelo.

A mãe, Karina Lara, ansiosa pela tão esperada viagem, afirma que entrou em contato com a empresa para buscar a emissão das passagens, no entanto, chegando ao endereço, não havia mais empresa no local. O prejuízo financeiro ultrapassou os R$10 mil, incluindo despesas com passagens, reservas e outros custos relacionados à viagem.

“Eu e minha família ficamos um pouco surpresas quando chegamos até a agência e nos deparamos com as portas fechadas. Procuramos contato com as responsáveis pela agência de viagem, e nós não obtivemos obtivemos resposta. Nós procuramos também a página na rede social, onde verificamos que a página não existia mais, muito menos a página da moça que era responsável, chamada Saionagela. E eu me deparei com mais duas pessoas na mesma situação que eu. A minha passagem estava marcada para o dia 20 de janeiro até o dia 30. E eu tive essa preocupação, porque ela não me emitiu as passagens, não me deu mais uma resposta e simplesmente sumiu”, relatou.

“Hoje nós entramos em contato com a empresa Vai Voando e eles pediram para que eu emitisse, fizesse um e-mail com os anexos das conversas, dos áudios, dos comprovantes de pagamento que eu tinha. A questão do contrato também que ela mandou, eu anexei tudinho e enviei. E agora nós estamos aguardando uma resposta”, acrescentou.

O ContilNet tentou contato com os funcionários das empresas pelos números disponíveis, mas não obtivemos resposta até o fechamento desta pauta.

PUBLICIDADE