12 de abril de 2024

“Muito delicado”, diz Luiza Brunet sobre compulsão de Yasmin

A mãe da modelo bateu um papo exclusivo com a coluna e explicou sobre a síndrome que assola a filha desde quando ela era modelo. Confira!

Luiza Brunet e Yasmin Brunet (Reprodução/Montagem Metrópoles)

Luiza Brunet e Yasmin Brunet (Reprodução/Montagem Metrópoles)

Luiza Brunet que vem vibrando e opinando bastante com a participação de Yasmin Brunet no BBB24, bateu um papo exclusivo com a coluna Fábia Oliveira e falou, em detalhes, sobre a compulsão alimentar que a filha assumiu ter durante o confinamento e pegou muita gente de surpresa.

Além da síndrome de sua primogênita, a também empresária rebateu algumas críticas e comentou a postura de Rodriguinho, que chegou sugerir que a ex de Gabriel Medina usasse uma mordaça para conter o problema com comida. Nesta quinta-feira (18/1), a musa dos anos 80 e 90, avisou que vai denunciar o cantor na Justiça por violência psicológica.

Confira as respostas de Luiza Brunet:

Como está sua expectativa com a Yasmin no BBB? Ela está correspondendo?
Minha expectativa está sendo boa, porque eu acho que ela está trazendo pautas importantes [para o BBB24]. Principalmente essa questão da compulsão alimentar e tudo mais que eu e ela vivemos por conta de sermos modelos. E a gente sabe que é um tema pouco divulgado, pouco falado, mas é um problema que muitas mulheres e jovens também passam. Por isso, é um tema muito delicado, importante de ser falado. É um tema que tem que ser tratado com muita responsabilidade.

A Yasmin vem falando no programa sobre lidar com a compulsão alimentar. Aqui fora ela já sabia do problema?
Ela assumiu isso muito jovem, né? Porque não é fácil você em rede nacional que tem uma síndrome. Muitos portais importantes trouxeram isso [compulsão alimentar] como matéria importante. Informação é sempre bom pra desmistificar coisas, para que as pessoas também tratem desse problema com seriedade, com doçura, com paciência e também pesquisar as formas que despertam os gatilhos, que na minha opinião são vários, desde violências e frustrações, a baixa autoestima. Enfim, eu acho que ela está fazendo um papel [importante] e está conseguindo ficar firme e contribuir com essas pautas que são de extrema importância.

Como você está lidando com as críticas que sua filha vem recebendo, como as do Rodriguinho e do Nizam?
As críticas são difíceis de lidar porque são muito pesadas, né? A princípio era engraçado, mas acho que a coisa foi tomando mais importância é virando desnecessária. Eu lembro da primeira conversa entre eles [Yasmin e Rodriguinho], que eu já fiquei muito chateada, quando ele falou assim: “Quem é Yasmin? Ela não é cantora, nem atriz, não é nada. Ela é só filha da Luiza Brunet” ou algo nesse estilo. Eu falei: “Pô, quem é esse cara?”. Eu nunca ouvi falar na vida dele. Não é o tipo de música que eu ouvia, inclusive não é da minha geração, mas eu nunca tinha visto Os Travessos. Não era, assim, uma coisa que me remetia a um cantor importante, uma figura importante, não era o tipo de música que eu ouvia na época. Enfim, estranhei toda essa indelicadeza e depois eu vi que ele foi crescendo, ele foi crescendo e trazendo um desconforto pra ela, uma coisa boa bem desagradável. Eu sinto vergonha por ele, fico muito chateada pela Yasmin, mas principalmente pela esposa dele que está na casa dele, vendo ele assediando ela desse jeito. E não vem me dizer que não é assédio, porque isso é sim. É um tipo de assédio desnecessário.

Você acha que a compulsão da Yasmin pode estar ligada à toda essa pressão?
Na minha opinião, a compulsão voltou porque ela sempre teve, porque as modelos têm, né? Por conta da pressão da moda e de você ter que manter o peso. É uma coisa muito dúbia e dura que as meninas, muitas vezes, comem demais, e tem a questão da bulimia, que é vomitar a comida, porque ela quer suprir questões muito profundas através da comida, então come, come. Também tem a questão da compulsividade, que acontece quando algo está machucando demais. Então, ele trouxe esses gatilhos pra ela ali dentro e, de uma certa forma, é muito duro, né? De ver ela repetindo, repetindo isso. Muitas vezes diariamente. E ele a agride com palavras, com gatilhos que faz com que ela reflita sobre isso. No outro dia eu fiquei impressionada, quando ela ficou congelada, depois dele falar que ela ia sair rolando. Ela ficou congelada porque são os gatilhos realmente que fazem com que ela relembre quais são os problemas que ela teve, que está despertando toda essa questão alimentar.

Você chegou a dar algum conselho pra Yasmin antes dela entrar na casa?
Nós conversamos muito. O conselho que eu dei pra Yasmin foi “seja você”. Seja verdadeira. Entrega tudo que você é. Seja a menina que é responsável por pautas importantes. Ela falou: “Ah, mãe não vou falar se eu não quiser, não quero me tornar uma ativista chata lá dentro”. A menina começou a trabalhar com 12 anos de idade. Ela morou fora do Brasil por 12 anos, nos Estados Unidos, sozinha. Teve um casamento, um segundo casamento que foi muito tumultuado. Então, ela teve muitas experiências, ela é muito madura, ela é muito inteligente, ela busca informação. Ai, gente! Só me dá orgulho! Então, assim, eu acho ela muito preparada pra enfrentar o Paredão, como já enfrentou. É muito preparada pra levar o programa com pautas importantes, até porque a gente conversou muito sobre isso.

Você esperava toda essa repercussão em torno da Yasmin?
Sinceramente, eu não esperava toda essa repercussão em torno da Yasmin. Mas eu fico muito feliz de que ela tenha sido uma alavancadora. Como voltei e volto a falar, saiu da mesmice. Ela foi uma grande alavancadora de questões importantes. Fico surpresa dela ter se soltado, dela ter sido corajosa em falar de coisas importantes e mostrar o quanto ela também é uma pessoa comum, quanto ela é amorosa, quanto ela é alegre, risonha. Ela tá sempre rindo. Mesmo sendo agredida pelo Rodriguinho, né? De certa forma, ela está sempre sorrindo, ela não é agressiva. Então, espero que ela se mantenha assim, com essa parte muito tranquila. Eu falo sempre que a inteligência emocional você tem que parar e pensar e nunca responder na hora.

Que recado você deixa para os haters que julgam a Yasmin?
Eu diria pra os reis que julgam a Yasmin que eles olhem para suas próprias vidas, porque um hater tem uma vida que não é tão boa assim. O hater tem problemas estruturais que ele não consegue resolver, então a compulsão que o hater tem é apontar os problemas nos outros, para tentar resolver os próprios. Então, eu digo para os haters que resolvam seus problemas existenciais, as suas compulsões e se tornem pessoas melhores, porque a internet pode servir para o bem e para o mal. E através de vocês haters, a internet é uma merda, é muito ruim, a internet é péssima. Mas se for de mensagens boas, a gente suporta e não vai reclamar.

PUBLICIDADE
logo-contil-1.png

Anuncie (Publicidade)

© 2023 ContilNet Notícias – Todos os direitos reservados. Desenvolvido e hospedado por TupaHost