Apoio da base de Tião a Zen deixa pré-candidatura de Ney Amorim ainda mais fortalecida

o nome do secretário Emylson Farias é cada vez mais jogado a escanteio

Forçando a barra

Depois de ter o nome incluído em uma das perguntas do concurso da Polícia Militar, alguns setores da imprensa tentaram ligar a história de José Augusto, pai da vice-governador Nazaré Araújo, à história de autonomia do Estado do Acre. Pegou mal.

Resposta

Osmir Lima, ex-aliado do Palácio Rio Branco, utilizou as redes sociais para desmascarar o episódio. Ele afirmou que “o ex-governador [José Augusto] nunca fez parte da luta pela elevação do Acre à Estado. Ele morava no Rio de Janeiro. Seu partido, o PTB, era contra essa elevação, com os argumentos de que com o advento do Estado haveria o rompimento com o Governo Federal e como consequências os funcionários do então território seriam demitidos e a miséria implantada”.

Como José Augusto entrou na história

Ainda segundo Osmir Lima, que foi realmente um dos que lutou pela autonomia, o saudoso José Augusto entrou para a História beneficiado como primeiro governador eleito. Ele seguiu esclarecendo que: “O movimento pró-autonomia, comandado pelo PSD, precisou instalar serviços de alto-falante nos sete municípios para desmentir essas notícias e evitar pânico na sociedade. Eu fui um dos locutores em Cruzeiro do Sul, ao lado de Benjamim Ruela”, acrescentou.

A quem devemos?

Osmir Lima, para não deixar ninguém em dúvida, deu nome aos verdadeiros homens que devem ser homenageados pela elevação do Acre a Estado. “O Acre deve sua elevação a Guiomard Santos, Geraldo Mesquita, Omar Sabino e tantos outros autonomistas já registrados na História”, disse Osmir.

Bom debate

No dia em que o Estado do Acre completou 55 anos, esse foi o debate político. Assim como se tornou o primeiro Território Federal da História do Brasil, o Acre foi o primeiro destes a se tornar Estado, abrindo precedentes para que outros Territórios Federais como Rondônia, Amapá e Roraima também passassem a ser Estados brasileiros.

Deputado Ney Amorim

Fortalecido

Outra notícia que chamou atenção do meio político durante o feriado é o fortalecimento do nome do deputado estadual Daniel Zen (PT) como pré-candidato ao governo e Ney Amorim para o Senado. A base de sustentação do governo Tião Viana fechou acordo nesse sentido. Recentemente Zen foi eleito presidente regional do Partido dos Trabalhadores.

Ney sai bem maior

Nessa história toda, a pré-candidatura do deputado Ney Amorim ao Senado pela FPA sai muito mais fortalecida. Nada contra o nome de Zen, mas todos sabem que na hora “H” é o governador Tião Viana que bate o martelo. Aí não tem base que resista. Não deixa de ser um fato político.

Cada qual no seu quadrado

A decisão da bancada de sustentação do Palácio Rio Branco, de hipotecar apoio ao deputado Zen (PT), forma o terceiro grupo dentro da FPA que pensa nas eleições de 2018. A leitura é a seguinte: a candidatura de Nazaré Araújo segue com o apoio de Tião Viana. Contudo, Zen agora tem a hipoteca dos deputados estaduais e do prefeito Marcus Alexandre, o preferido do senador Jorge Viana (PT/AC).

Enfraquecido

Como esta coluna tem adiantado, o nome do secretário Emylson Farias é cada vez mais jogado a escanteio. Por motivos óbvios: os números da Segurança Pública, ou melhor, da insegurança pública que toma conta do estado. Pelo rumo que a coisa vai, Farias terá dificuldade para se eleger até como presidente de bairro.

Pé na estrada

O senador Gladson Cameli (PP/AC) colocou o pé na estrada e percorreu toda a BR 364 durante o feriado de Corpus Christi. Além de conversar com trabalhadores que foram contratados, e constatar que os mesmos são dos municípios cortados pela rodovia, o líder do PP ficou feliz com o avanço dos serviços de restauração da rodovia.

Zona de conforto

Para o Superintendente do DNIT no Acre, engenheiro Thiago Caetano, existem parlamentares do bloco de oposição que preferem ficar “na zona de conforto” do que empenhar apoio às obras de restauração da BR-364.

PSDB silenciou

O PSDB não reagiu às críticas feitas contra o deputado estadual Luiz Gonzaga. O silêncio é o sinal mais positivo de que a avaliação está correta. Não tem outra explicação para o comportamento nada recomendável de Gonzaga. Aliás, sua postura não é de se estranhar, o tucano já esteve aliado à Frente Popular do Acre. O contexto, ou seja, o envolvimento de mais caciques do partido nessa trama, é que deixa a desejar, principalmente, com o discurso de “verdadeira oposição”.

Na balança

Os números nada animadores dos resultados das últimas eleições no Acre, com relação ao PSDB, podem fazer a diferença em uma decisão que a executiva nacional do partido promete tomar neste fim de semana. Quem viver verá mudanças radicais na gestão da sigla.

Thiago Caetano, suprintendente Dnit

Recado dado

O superintendente do DNIT mandou um recado: “Ano que vem, quando os serviços dessa restauração estiverem concluídos, ninguém venha querer tirar os dividendos políticos”. Trocando em miúdos, a BR-364 se tornou em um patinho feio, aí ninguém quer arriscar assumir a paternidade. Enquanto era a rodovia dos sonhos, a cada palmo de asfalto era um flash.

Agenda confirmada

Está confirmada a agenda com o Diretor Geral do DNIT, Valter Silveira e do Coordenador -Geral de Operações Rodoviárias, Fábio Nunes. Este último vem ao Acre com a intenção de verificar in loco, a situação da ponte sobre o Rio Tarauacá e outros gargalos na construção da rodovia.

Enquanto isso…

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM/RJ), admitiu na quinta-feira (15) a possibilidade de que o recesso parlamentar do Congresso Nacional seja suspenso para análise de um eventual pedido de denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o presidente Michel Temer.

Recesso

De acordo com Rodrigo Maia, a questão pode justificar uma suspensão do recesso, marcado para ocorrer entre 18 e 31 de julho. “Enquanto tiver este processo na Câmara, esta será a agenda prioritária da Casa e deve ser mesmo. Só depois disso que se consegue retomar com mais tranquilidade as outras agendas”. O líder do DEM na Câmara dos Deputados, Efraim Filho (PB), disse nesta quinta-feira que concorda com uma eventual suspensão do recesso parlamentar.

Funagro

Tem gente elogiando a medida tomada pelo Governo do Acre, que retirou máquinas do poder das associações e produtores rurais. Com o lançamento do plano Funagro, subsidiariamente o produtor tem a garantia da mecanização (destocar, aradar, plantar, colher etc.) mediante o recolhimento de um DAE como contrapartida dos serviços oferecidos. Todos os custos do serviço (combustível, operador, manutenção e apoio técnico) ficam a cargo do fundo.

Turma do contra

Há quem diga, no entanto, que a medida foi um tiro no pé, afastou definitivamente o Estado da parceria com os produtores. Na verdade, ninguém acredita na bandeira de sustentabilidade e desenvolvimento.

Sem sintonia

Em Sena Madureira a oposição precisa começar a conversar sobre as eleições de 2018. Hoje existem três grupos atuando no município: o da prefeita Toinha Vieira, outro do prefeito Mazinho Serafim e o da publicitária Charlene Lima, que assumiu o comando do PTB no Acre. O problema é que esses grupos estão separados, cada um correndo por conta.

Não se bicam

Pela primeira vez a oposição deverá ter um nome para disputar o governo que é quase unanimidade entre seus integrantes. Apesar disso, precisa aparar arestas na Capital do Iaco, onde o grupo de Toinha Vieira não se bica com o grupo de Mazinho Serafim.

Fumaçando

Na tribuna da Câmara Municipal de Sena Madureira o vereador Jossandro Cavalcante faz duras críticas à administração do prefeito Mazinho Serafim (PMDB), o que vem deixando o chefe do Executivo fumaçando de raiva. O tucano tem jogado pesado.

Reeleição tranquila

O deputado Gehlen Diniz (PP) é o único que poderá ter uma reeleição tranquila em Sena Madureira. Além de ser um parlamentar atuante, sabe jogar bem com as pedras.

Destaque

Outro nome que a cada dia se destaca muito em Sena Madureira e em outros municípios é o da publicitária Charlene Lima. Tem a simpatia da população e aliados fiéis, o que conta muito em uma eleição.

comentários

Veja também