Integrantes de facção são presos acusados de invadirem delegacia e matar preso em Capixaba


"Os presos não falaram a motivação só se identificaram como sendo de facção e que eles não aceitavam aquele tipo de coisa", disse o delegado

REDAÇÃO CONTILNET

Na manhã desta quinta-feira (8), o Delegado de Polícia Civil, Marcos Cabral, responsável pela comarca de Capixaba, apresentou os resultados de uma investigação que resultou na prisão de componentes de uma facção criminosa suspeitos de extorquirem comerciantes naquele município e ainda de participarem da invasão a delegacia e morte de um preso no dia 27 de setembro deste ano.

Grupo foi preso em Capixaba./Foto: Reprodução

A vítima, Elison de Souza Maia, conhecido como “Testinha”, foi preso no mesmo dia em que morreu, suspeito de assassinar três pessoas para roubar, entre elas, um casal de idosos.

Segundo as investigações, Emerson de Lima Farias, o “Apocalipse”, era o líder da organização atuante naquela região e teria incentivado os demais a invadirem a delegacia para praticar o crime.

Elison de Souza Maia/Foto: Reprodução

“Os presos não falaram a motivação, apenas se identificaram como sendo de facção e que eles não aceitavam aquele tipo de coisa. Nós identificamos o “Apocalipse” como sendo o principal autor, o que de fato matou a vítima e outros três que participaram da invasão e destruição do patrimônio. Outras pessoas ainda deverão ser indiciadas por participação já que foram muitas”, disse o delegado.

Emerson seria o líder da fação /Foto: reprodução

Além deles, a polícia prendeu também outras cinco pessoas atuantes da mesma facção que trabalhavam para o líder Emerson Farias. O grupo extorquia comerciantes da região, cobrando taxas de pagamento para não serem roubados.

“Eles faziam visitas aos comerciantes e pediam o pagamento de uma mensalidade. Em um dos casos, eles deram o ultimato ao gerente de um mercado da região dizendo que, se não pagassem a mensalidade, eles iriam praticar lá o crime de roubo. Nós demos a resposta, prendendo e apreendendo esse grupo e a população poderá ter um pouco de paz”, finalizou Marcos Cabral.

comentários

Outras Notícias

Veja Também