Rio Branco, Acre,


Assassinos de moça decapitada no Caladinho no ano passado enfrentam Júri

Acusados são um casal que confessaram o crime e agiram com frieza: além de decepar a cabeça do corpo, ainda filmaram o ato

Deve entrar pela noite desta quinta-feira (23) o julgamento dos acusados de decapitar a jovem Débora Bessa, de 20 anos, num crime em que a vítima foi capturada e levada para o Bairro Caladinho, onde foi amarrada e depois teve a cabeça separada do tronco a golpes de facão. O crime ocorreu em 2018 e chocou pela frieza dos assassinos, que filmaram toda a ação de decapitação e esquartejamento e publicaram o vídeo em aplicativos de celular das redes sociais.

Os acusados, André Martins e Luciele devem pegar penas pesadas/Foto: Reprodução

Duas pessoas – André de Souza Martins e Luciele Souza do Nascimento – enfrentam o Júri Popular em relação ao crime desde a manhã desta quinta-feira e devem deixar o Tribunal com condenações pesadas, provavelmente penas máximas. Pelo menos é que espera a mãe da vítima, Irlanik Freitas, que acompanha o julgamento. “Ela deixou um filho, que chama por ela até hoje e eu não tenho resposta. Espero sim que o júri seja realmente severo e dê a pena máxima. Que fique na história essa condenação, assim como ficou na história o crime da minha filha. E fique como exemplo para que ninguém faça mais o que fizeram com ela”, disse a mãe.

A jovem decaptada/Foto: Reprodução

André de Souza Martins, o principal acusado, confessou o crime e diz que matou a garota por vingança. A violência do crime foi tamanha que o corpo não pôde ser velado. “Minha filha foi sepultada num caixão fechado. Nem os familiares o cheiro. O velório não durou cinco minutos.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários


Recomendado para você

Últimas Notícias