30.3 C
Rio Branco
14 junho, 2021 5:14 pm

Filha de transplantado com fígado de Giovanni agradece família: “Os braços de Deus”

POR EVERTON DAMASCENO, DO CONTILNET

Depois que o cruzeirense Claudionor da Silva Freitas, de 59 anos, foi contemplado com o fígado do músico Giovanni Acioly, em um transplante realizado na última semana, após a morte do artista – que teve alguns de seus órgãos doados – a filha de Silva, Marlen, fez questão de agradecer a família do radialista em um texto publicado nas redes sociais.

“Primeiramente, meus sentimentos pela perda dolorosa de seu filho. Sou mãe e desde momento que soube do acidente, roguei a Deus por seu filho, mesmo antes de saber que ele faria parte de uma continuada história na minha família. Não pude deixar de invadir um pouco do seu tempo aqui para deixar todo o meu agradecimento pela generosidade de em meio a tanta dor, testemunhar o amor de Deus através de seu filho. Meu pai nesse momento vem se recuperando logo após o transplante de fígado”, escreveu.

Claudionor da Silva Freitas, de 59 anos/Foto: Reprodução

Marlen disse que o pai sempre teve muita vontade de viver. Ele foi surpreendido nos últimos meses com o diagnóstico de câncer e um tratamento pesado que seria necessário para a recuperação. A doação do fígado de Giovanni foi uma “benção”, que apareceu no momento certo.

SAIBA MAIS: Acreano de Cruzeiro do Sul recebe fígado de Giovanni Acioly e tem vida salva

“Foi uma grande emoção a ligação que recebemos. E meu pai tinha menos de 24 horas para estar aqui em Rio Branco. Saiu à noitinha de Cruzeiro do Sul e chegou pela madrugada. Sua vontade de viver sempre foi grande. Ele já vinha lutando com alguns problemas de saúde e, em uma última consulta, há menos de um ano, descobriu um câncer e seu fígado já estava todo comprometido. Ele ja vinha sofrendo bastante. Ele era o segundo da lista. Pedi muito a Deus que o abençoasse. Passei o dia inteiro no hospital rogando a Deus que permitisse que o transplante fosse dele. No fim da tarde, recebemos a notícia, a maravilhosa notícia de que ele era compatível. Ou seja, de segundo da lista, foi o escolhido por Deus!”, contou.

“A cirurgia que duraria oito horas, deu tão certo que terminou antes do previsto. A recuperação do meu pai tem sido a resposta de Deus em nossas vidas. E sabemos que tudo isso aconteceu porque vocês permitiram. Estamos felizes e seremos sempre gratos pelo amor que vocês demonstraram pelo próximo, ainda mais, no mundo em que vivemos hoje. Meu pai só fala em conhecê-los e quer muito agradecer”, disse a filha do transplantado à família de Geovanni.

Vocês, com toda a certeza, foram os braços de Deus, pois quando clamamos a Deus com verdade e humildade, os milagres acontecem através de pessoas verdadeiramente humanas. Saibam que meu pai ja está sendo um novo homem. Ele está salvo. […] Obrigada eternamente! Deus sabe o quanto desejei a cura de meu pai. Todos os dias eu dobrava meus joelhos e rogava por misericórdia. Deus os abençoe cada dia da vida de vocês! Maravilhas vocês nos fizeram mesmo diante do sofrimento. Obrigada! Obrigada!”, finalizou.

Giovanni morreu em um acidente de trânsito no último dia 1 de novembro, em Tarauacá.

Os artigos são de responsabilidade exclusiva dos autores. É permitida sua reprodução, total ou parcial desde que seja citada a fonte.