Rio Branco, Acre,


Menina morre após ser baleada na porta de casa em Niterói

A Polícia Civil informou que um inquérito foi instaurado para apurar a morte da menina de 5 anos

Uma menina de 5 anos morreu após ser atingida por uma bala perdida em uma comunidade de Niterói, na Região Metropolitana do Rio, nesta terça-feira (2).

Ana Clara Machado estava brincando com o primo quando foi atingida, na comunidade Monan Pequeno, no bairro de Pendotiba.

A Polícia Militar informou que uma equipe estava fazendo patrulhamento na Estrada do Monan Pequeno para verificar informações sobre roubos de veículos, carga e transeuntes. Os PMs teriam sido surpreendidos por cinco suspeitos, que fizeram disparos de arma de fogo contra os policiais.

A equipe da Polícia Militar revidou e os homens fugiram para a região mais alta no interior da comunidade. Os PMs continuaram o patrulhamento e foram novamente alvos de disparos, segundo a Corporação.

Em seguida, alguns moradores gritaram pedindo socorro para uma criança baleada. Os policiais tentaram socorrer a vítima, que foi identificada como Ana Clara Machado.

Segundo a Secretaria de Estado de Saúde, ela foi levada para o Hospital Estadual Azevedo Lima, mas não resistiu. A direção da unidade médica afirmou que ela chegou a receber atendimento, mas foi a óbito.

PM e Polícia Civil investigam

A Secretaria de Polícia Militar do RJ informou, nesta terça-feira (2), que abriu um um “procedimento apuratório interno para apurar a conduta dos policiais do batalhão no episódio”.

“O 12ºBPM (Niterói) recolheu as armas dos policiais. A ocorrência foi encaminhada para a Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo (DHNSG) e está em andamento”, diz a nota.

A Polícia Civil informou que um inquérito foi instaurado para apurar a morte da menina de 5 anos. Segundo os investigadores, será realizado confronto balístico nas armas dos PMs. Equipes da Delegacia de Homicídios realizam diligências para descobrir a orgiem dos disparos.

A Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, por meio da Subsecretaria de Vitimados, também se manifestou, comunicando que ofereceu atendimento social e psicológico para a família de Ana Clara Machado. “A equipe psicossocial conversou com a família da vítima essa tarde e vai acompanhar o caso”, informa a nota.

Primas mortas na porta de casa em Duque de Caxias

Assim como Ana Clara, as primas Emilly e Rebecca, de 4 e 7 anos, também brincavam na porta de casa quando foram baleadas. Elas moravam em uma comunidade Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.

A avó de uma de uma das meninas contou que estava chegando do trabalho e as crianças a esperavam na calçada para comprar um lanche. Familiares das meninas disseram que não sabiam se havia uma perseguição, mas garantem que viram a polícia atirando.

“Estava chegando do trabalho e saltei do ônibus. Eu escutei no mínimo dez disparos. O ônibus passou e a blazer estava parada e deu aquele arranco para sair. Ele parou em frente à rua e simplesmente efetuou os disparos”, disse Lídia Santos, avó de Rebecca.

Emilly Victoria foi baleada na cabeça e Rebecca Beatriz Rodrigues dos Santos levou um tiro no abdômen. A Polícia Militar, no entanto, nega que tenha efetuado disparos.

Menino baleado na perna

No último dia 12 de janeiro, uma criança de 7 anos foi baleada na perna em um confronto entre PM e criminosos em Vicente de Carvalho, na Zona Norte do Rio. Rafael Capela da Silva Gabriel foi hospitalizado em estado grave.

Um suspeito que o mantinha refém dentro de um carro foi morto no tiroteio. Ainda não se sabe de onde partiu o tiro que acertou Rafael.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários


Recomendado para você

Últimas Notícias

Scroll Up