Rio Branco, Acre,


Por seguro de vida, homem mata a própria mulher grávida ao jogá-la de penhasco

A dupla estava tirando fotos no penhasco, e as autoridades dizem que o “acidente” foi na verdade um assassinato

Hakan Aysal, de 40 anos, foi preso pelo assassinato de sua esposa Semra Aysal, de 32, e seu filho ainda não nascido, após jogar a vítima de um penhasco.

O casal estava passando férias em Butterfly Valley, na cidade de Mugla, na Turquia. Segundo o Daily Mail, Hakan teria empurrado sua esposa, que estava grávida de sete meses na época, do penhasco onde ela e o bebê foram mortos instantaneamente em junho de 2018.

A dupla estava tirando fotos no penhasco, e as autoridades dizem que o “acidente” foi na verdade um assassinato cometido por Aysal para que ele pudesse lucrar com o seguro de vida que ele fez pouco antes da morte de Semra.

Na acusação, preparada como “homicídio deliberado”, afirma-se que ele [Hakan] ‘planejou o assassinato de sua esposa, primeiro fazendo um seguro de acidentes pessoais em seu nome com uma garantia de  400.000 Liras Turcas (£ 40.865) e onde o único beneficiário era ele mesmo ‘.

Em uma entrevista, o tribunal ouviu Naim Yolcu, irmão da vítima, que contou: “Quando fomos ao Instituto de Medicina Legal para buscar o corpo, Hakan estava sentado no carro. Minha família e eu fomos destruídos, mas Hakan nem mesmo parecia triste”.

Naim também acrescentou: “Minha irmã sempre foi contra a contração de empréstimos. No entanto, depois que ela morreu, soubemos que ela tinha três empréstimos contraídos por Hakan em nome de minha irmã”.

Questionado sobre os prêmios de seguro questionáveis, Aysal afirmou: “Tenho me interessado por esportes radicais desde 2014; paraquedas, bungee jumping, rafting. É por isso que eu tinha seguro de vida antes de me casar”.

Hakan negou ser responsável pela morte da esposa. “Depois de tirar uma foto, minha esposa colocou o telefone na bolsa. Mais tarde ela me pediu para lhe dar o telefone”, disse. Ele continuou sua defesa. “Levantei-me e ouvi minha esposa gritar atrás de mim quando me afastei alguns passos para pegar o telefone de sua bolsa. Quando voltei, ela não estava lá. Eu não forcei minha esposa”, finalizou.

A investigação sobre a morte das vítimas continua.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários


Recomendado para você

Últimas Notícias

Scroll Up