34.3 C
Rio Branco
26 julho, 2021 3:36 pm

Em operação no AC e RN, Polícia desarticula quadrilha que enviava drogas pelos Correios

Movimentação era entre o AC e RN com o envio de correspondências e objetos com drogas; cães detectaram

POR TIÃO MAIA, PARA CONTILNET

Pelo menos 14 pessoas foram presas em Rio Branco (AC) e em Natal (RN) em operação desencadeada pela Polícia Federal nesta sexta-feira (25) para combater o tráfico de drogas entre os dois estados através de correspondências postais usando os serviços dos Correios e até de empresas de outras atividades, através de encomendas. Outros 21 mandados de busca e apreensão também foram cumpridos.

A operação foi batizada de Malinois, alusão à raça de cães da Polícia Federal que detectaram a presença de entorpecentes em correspondências e foram fundamentais na localização de drogas escondidas em pacotes de encomendas. A investigação foi iniciada dezembro do ano passado, após os cães policiais indicarem a presença de substância entorpecente em uma encomenda enviada pelo modal postal. A partir dessa apreensão, policiais federais da Delegacia de Repressão à Entorpecentes da Superintendência Regional da Polícia federal no Acre intensificaram as investigações a fim de identificar o maior número possível de envolvidos que se utilizam não só dos Correios, mas de outras empresas de transporte para despacharem encomendas recheadas de Drogas.

De acordo com a Polícia Federal, os traficantes utilizavam-se de caixas de som, brinquedos e utensílios domésticos recheados de drogas, n uma ação de uma autêntica atuação da Organização Criminosa. Com o apoio do Setor de Segurança dos Correios e da Receita Federal do Brasil, foi possível apreender 270 kg de entorpecente, entre eles, cocaína, maconha, ecstasy, MDMA, gerando um prejuízo de R$ 8 milhões ao crime organizado.

A Polícia Federal estima que a organização criminosa movimentou, em 2020, mesmo em meio à pandemia do coronavirus, algo em torno de R$ 2 milhões. Em contas de laranjas. Os investigados responderão por tráfico interestadual de drogas, associação para o tráfico, por integrar Organização Criminosa e, por fim, por lavagem de capitais.

Fotos: PF

Os artigos são de responsabilidade exclusiva dos autores. É permitida sua reprodução, total ou parcial desde que seja citada a fonte.