18.3 C
Rio Branco
22 julho, 2021 10:06 am

Vítima de homofobia comemora denúncia contra podcast no AC: “Justiça sendo feita”

Maikon Jones Silva de Moura, Geovany Almeida Calegário e Pedro Lucas Araújo Moreira vão responder por prática e incitação de preconceito em virtude de orientação sexual contra a vítima

POR EVERTON DAMASCENO, DO CONTILNET

“A justiça deve ser feita”, foi o que disse o digital influencer de Sena Madureira, Lucas Lima, de 19 anos, depois que o Ministério Público do Acre (MPAC) apresentou denúncia contra o grupo que promoveu ataques homofóbicos contra ele em um podcast.

Maikon Jones Silva de Moura, Geovany Almeida Calegário e Pedro Lucas Araújo Moreira vão responder por prática e incitação de preconceito em virtude de orientação sexual contra a vítima. O caso aconteceu no dia 1 de junho deste ano, quando os denunciados ligaram para Lucas, durante a transmissão do programa, no intuito de “passar um trote”.

Em entrevista ao ContilNet, Lima disse que vê o posicionamento do MPAC como necessário.

“A denúncia é necessária e a justiça precisa ser feita. Isso tem um impacto no preconceito que eu sofri e que diversas pessoas sofrem diariamente. A violência precisa acabar”, explicou o senamadureirense.

Quando questionado sobre como lidou com a situação desde que ela ocorreu, Lucas disse que tem experimentado o acolhimento por parte da família e dos amigos mais próximos.

“No início foi um pouco difícil, por conta da repercussão do caso e dos ataques sofridos, mas consegui ter o apoio da minha família e dos amigos que amo e estão mais próximos”, argumentou.

“Eu imaginei, assim que tudo aconteceu, que eu seria rejeitado, que não teria o respeito das pessoas, mas foi diferente. Me sinto acolhido por quem eu amo e respeitado”, continuou.

O acreano destacou que a denúncia serve de alerta para as pessoas que não se abrem ao respeito ao próximo.

“Eu espero mesmo que a justiça seja feita, que eles reflitam sobre a dor que causaram e mudem essa mentalidade absurda. Ninguém merece ser exposto dessa forma. Essa denúncia serve para que as pessoas se atualizem, busquem informações, não sejam ignorantes sobre as formas de existir no mundo. Respeito é o caminho para tudo”, finalizou.

Os artigos são de responsabilidade exclusiva dos autores. É permitida sua reprodução, total ou parcial desde que seja citada a fonte.