41.7 C
Rio Branco
21 setembro 2021 10:56 am

“Esta chegando a hora da onça beber água”, diz ex-deputado Moisés Diniz em referência às eleições de 2022

Ex-deputado revida ataques de ex-companheiros da Frente Popular do Acre: “Eles sabem eu sou limpo", disse

POR TIÃO MAIA, PARA CONTILNET

Última atualização em 17/08/2021 13:06

O secretário-adjunto de Educação do Governo do Estado, Moisés Diniz, ex-deputado estadual e federal pelo PCdoB, quando chegou a ser inclusive dos governos da FPA (Frente Popular do Acre) na Assembleia Legislativa, resolveu sair das cordas. Duramente criticado pelos antigos companheiros de PCdoB e da FPA, depois de ter-se posicionado contra prisão do ex-deputado Roberto Jeferson, Diniz resolveu responder a seus críticos. O principal deles foi o publicitário David Sento-Sé.

Sem citar nomes, numa postagem em suas redes sociais em que elogia o governador Gladson Cameli (PP), por ter-se reunido com o prefeito de Xapuri, Bira Vasconcelos (PT), por não discriminar prefeitos por ideologias ou preferências partidárias, Diniz resolveu falar de si e dos antigos companheiros. “Infelizmente, nossos governos da FPA nunca fizeram isso. Nunca entregaram máquinas ou fizeram convênios com prefeitos da oposição”, disse. “Aí, hoje, eu gravei um vídeo e nem falei desse último e triste parágrafo. Apenas falei do presente: que Gladson trabalha para todos”, acrescentou. Em seguida, o ex-parlamentar pergunta: “Sabe o que aconteceu? Estou sendo agredido por alguns órfãos nas redes sociais. Eles sempre me agridem”.

Moisés Diniz afirma, entretanto, “que nunca afirmam que eu fiz esquema nos governos da FPA, que peguei propina ou que empreguei minha mulher e filhos quando eu era deputado. Eles sabem que eu nunca tive senhores, nunca baixei a cabeça pra eles, que eles nunca ajudaram nas minhas eleições, que os cargos que tive, eram do PCdoB. Nunca aceitei esmolas deles e que sempre defendi o que era o certo”, acrescentou.

Aos críticos, o ex-deputado acrescentou: “Eles sabem que eu sou limpo, que eu passei limpo no meio de algumas podridões, que vivo de minhas convicções, que falo o que penso e que vou continuar irritando quem viveu de outro jeito. Mas, vou deixar pra conversar com eles em 2022, com ternura e sem medo, porque será ‘a hora da onça beber água’”.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
É permitida sua reprodução total ou parcial desde que seja citada a fonte. Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.