12 de junho de 2024

Cooperativas participam do Exporta Mais Amazônia em Rio Branco

Programa da ApexBrasil visa impulsionar empresas e cooperativas do Acre a venderem produtos da floresta para resto do mundo

Lançado no último sábado, 25, em Rio Branco, com a presença do ministro do Desenvolvimento Agrário da Agricultura Familiar, Paulo Teixeira, do presidente da ApexBrasil, Jorge Viana e do presidente do Incra, Cesar Aldrighi, o Programa Exporta Mais Amazônia é uma iniciativa inédita da ApexBrasil para ampliar as exportações da região Norte, em especial de produtos compatíveis com a floresta e de empresas da Amazônia brasileira.

O programa possui dois eixos: gerar oportunidades de negócios para a agricultura familiar, cooperativas e empresas, por meio de rodadas internacionais de negócios; e oferecer uma política estruturada de promoção das exportações de empreendimentos do Norte, por meio das Mesas Executivas de Exportação. Nas Rodada de Negócios, dias 27 e 28, serão 34 empresas de 5 estados do Norte negociando com 20 compradores de 15 países.

Abertura do Programa Exporta Mais Amazônia/Foto: Ascom

Em paralelo, o evento “Diálogos Exporta Brasil” busca sensibilizar autoridades e empresas locais para a cultura exportadora, debatendo oportunidades e desafios para a exportação e discutindo como podemos ampliar a participação de mulheres nos negócios internacionais.

O ministro do Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar, Paulo Teixeira, destacou a parceria com a OCB para promover o fomento do cooperativismo e que a proposta é focar em uma agroindústria sustentável.

“Temos o Sebrae para ajudar na organização e industrialização das pequenas empresas e também na industrialização desses produtos, e, ao mesmo tempo, a OCB, que é um sistema cooperativo muito importante, e junto com eles queremos promover as cooperativas. Trazer aqui uma proposta de agroindústria voltada com os produtos da floresta que deem uma exploração sustentável e um resultado econômico favorável para esse processo. Vamos avançar nesse arranjo produtivo para que o Acre possa ter um bom investimento e engajamento do seu povo nesse propósito”, pontuou.

Criar oportunidades para empresas locais

O presidente da ApexBrasil, Jorge Viana, destacou que esse é um processo que vem sendo construído ao longo dos anos, que consiste em criar oportunidades para que as empresas locais possam vender seus produtos para outros países.

Presidente da Apex-Brasil, Jorge Viana/Foto: Ascom

“Costumo dizer que Acre não é onde o Brasil termina, é onde o Brasil começa, é o estado mais perto do pacífico, e nos últimos anos foram feitas intervenções importantes de infraestrutura, como as estradas na época em que fui governador, depois muitas dezenas de missões ao Peru nesses últimos 20 anos, e agora, com o trabalho da Apex, empresas que já estão consolidadas vão poder vender seus produtos. O mais importante é que estamos criando oportunidade para que empresas sejam criadas, para que produtos possam ser vendidos com a ideia de trazer os compradores aqui. O Exporta Mais Amazônia está trazendo compradores para conhecer como é produzido os produtos e que produtos são esses. Isso é uma novidade”, afirmou Jorge Viana, presidente da ApexBrasil.

Cooperativas participam do evento

Mais de 20 cooperativas do Acre participam do evento de lançamento do Exporta Mais Amazônia. São cooperativas dos ramos da agricultura familiar, agroextrativista, trabalho e produção, bens e serviços, que atuam nas cadeias produtivas da castanha, borracha, açaí, farinha, café, frutíferas, leite, entre outras.

A Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil) selaram acordo cooperação técnica em 2020, renovado este ano, com objetivo de promover as exportações do cooperativismo, por meio de intercâmbio de informações, promoção comercial e qualificação das cooperativas para exportação.

Presidente da OCB Acre, Valdemiro Rocha/Foto: Ascom

“O Exporta Mais Amazônia vem fortalecer a capacidade das cooperativas da Amazônia, e principalmente no caso do Acre, exportar mais, estarem preparadas para isso. A Apex não vai permitir só espaços em feiras nacionais e internacionais, mas vai capacitar os recursos humanos dessas cooperativas como um todo para que possam colocar seus produtos principalmente no exterior. Eventos dessa natureza causam uma maior integração entre quem quer exportar e quem quer comprar os nossos produtos”, disse o presidente da OCB Acre, Valdemiro Rocha.

Em 2022, as 73 cooperativas apoiadas pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil) exportaram diretamente US$ 7,4 bilhões, o que representa 2,2% do total de exportações brasileiras. O número é significativo, mas ainda abaixo do potencial dos cooperativados, que representam 10% da população brasileira. Com o intuito de estimular a internacionalização do setor, a ApexBrasil e a Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) assinaram um novo Acordo de Cooperação técnica entre as instituições.

Cooperacre é protagonista no Exporta Mais Amazônia

A Cooperativa Central de Comercialização Extrativista do Acre (Cooperacre) está contribuindo com a realização do Exporta Mais Amazônia em Rio Branco e vai atuar de diversas formas, representantes da cooperativa contribuíram desde a concepção do evento, definição de formato, conteúdo. Na abertura da atividade, no sábado dia 25, o superintendente da cooperativa, Manoel Monteiro, participou de um painel onde apresentou a experiência, os empreendimentos e o modelo de negócios da Cooperacre, que atua com negócios da sociobioeconomia e atualmente exporta para mais de 10 países.

Além disso, a Cooperacre vai estar nas rodadas de negócio nos dias 27 e 28 de novembro, participando tanto para o setor da castanha, quanto também de açaí e frutas.

A cooperativa também é uma das co-realizadoras do Dia de Campo ou do Dia de Floresta, imersão nas trilhas da sociobioeconomia na floresta, realizada no domingo, 26, na Reserva Extrativista Chico Mendes, na comunidade Rio Branco, em Xapuri.

“Uma iniciativa fantástica, ação concreta para beneficiar nossos produtores, parabenizou a Apex, na pessoa do presidente Jorge Viana, por trazer um evento dessa magnitude para o Acre, para nós é uma honra, somos muito agradecidos. A Cooperacre está participando de todo esse processo e também vai estar recepcionando a visita dos compradores no nosso complexo industrial de Rio Branco, onde eles vão ter a oportunidade de conhecer as cadeias produtivas que trabalhamos desde a origem lá na floresta até a mesa de negociação, passando pelo sistema industrial de beneficiamento e agregação de valor”, pontuou o superintendente da Cooperacre, Manoel Monteiro.

Sobre a Cooperacre

A Cooperativa Central de Comercialização Extrativista do Acre (Cooperacre), trabalha com o beneficiamento da castanha-do-Brasil, borracha, polpa de frutas, palmito de pupunha e com café, defendendo o desenvolvimento sustentável aliado à preservação da diversidade natural e cultural da Amazônia.

Os produtos da Cooperacre, principalmente a castanha, são certificados como produtos totalmente orgânicos e livres de qualquer tipo de toxina, fator este que garante a credibilidade e a procura das grandes indústrias alimentícias mundiais.

Ministro Paulo Teixeira/Foto: Ascom

Atualmente a Cooperacre possui 30 galpões comunitários para armazenamento, quatro galpões centrais e cinco indústrias para beneficiamento de castanha, polpas de frutas e látex. A cooperativa tem 22 associações e 14 cooperativas filiadas e já exporta para 10 países, entre eles: Emirados Árabes Unidos; Estados Unidos; Itália; Reino Unido; Holanda; Kuwait; Lituânia; Rússia; Chile; Filipinas.

Em 2022, a Cooperacre movimentou mais de R$ 38 milhões em bioeconomia, beneficiando diretamente cerca de quatro mil famílias.

Veja fotos:

Foto: Ascom
Foto: Ascom
Foto: Ascom
Foto: Ascom
Foto: Ascom
Foto: Ascom
Foto: Ascom
Foto: Ascom
Foto: Ascom
Foto: Ascom
Foto: Ascom
PUBLICIDADE
logo-contil-1.png

Anuncie (Publicidade)

© 2023 ContilNet Notícias – Todos os direitos reservados. Desenvolvido e hospedado por TupaHost