19 de abril de 2024

Acre tem a segunda maior alta do país no setor de serviços e fechou 2023 com acumulado de 7,6%

Setor de serviços tem registrado alta nos últimos meses

O setor de serviços continua registrando alta no Acre, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgados nesta sexta-feira, 9, e que colocam o Acre com a segunda maior alta do país em dezembro do ano passado, com alta de 5,7%.

Setor de serviços tem registrado alta nos últimos meses. Foto: Neto Lucena/Secom

Se levado em consideração o acumulado de 2023, de janeiro a dezembro, esse índice sobe para 7,6%. Das unidades da federação, o Acre ficou atrás apenas de Sergipe, que fechou o último mês do ano com 9,8%.

O estado acreano vem em ritmo acelerado no setor de serviços, uma vez que em outubro chegou a ter a maior alta do país. Foi também esse segmento que mais empregou no Acre, fechando o ano de 2023 com um saldo de 2.327 novos postos, conforme dados do Novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo Caged), publicados no final de janeiro.

O titular da Secretaria de Indústria, Ciência e Tecnologia do Acre (Seict), Assurbanipal Mesquita, destacou que os dados são resultado de políticas voltadas para o desenvolvimento do estado. Ele avalia positivamente o ano passado.

“Fechamos o ano de 2023 com menor taxa de desemprego e com diversas atividades em crescimento, especialmente nos setores da indústria e serviços. Dezembro é um mês de intensa atividade na área de serviço, comércio, porque a gente tem aí as festividades, o 13º, então o Estado vem pagando em dia os servidores que alimentam a economia, e isso aumentou mais a disposição das pessoas de gastar com serviços diversos, com comércio, compras e tudo mais”, pontua.

O investimento em festividades em todo o estado também foi impulsionador para que o Acre registrasse esses números, segundo o secretário.

“A gente entende que o crescimento desses números de serviço especial no mês de dezembro é natural. Conciliamos ainda com a redução da taxa de desemprego. Então, o Estado vem cumprindo seu papel, fomentando a economia, garantindo a manutenção dos salários em dia, buscando ampliar as atividades da construção civil, incentivando as indústrias de todos os sentidos. Os números oficiais estão mostrando esse resultado. Não é um relatório de governo, são números oficiais que estão refletindo esse resultado do crescimento na nossa economia, de melhoria no nosso ambiente de negócios”, reforça.

Dados nacionais

O volume de serviços no Brasil apresentou variação de 0,3% em dezembro de 2023, segundo resultado positivo consecutivo, acumulando um ganho de 1,2% nos dois últimos meses do ano e recuperando parte da perda verificada no período entre agosto e outubro (-2,1%).

Mesmo assim, no acumulado de 2023, o setor fechou com alta de 2,3%, terceiro ano seguido de crescimento. Por fim, no acumulado dos últimos 12 meses, os serviços perderam fôlego, ao reduzirem a magnitude de crescimento de 3,1% em novembro para 2,3% em dezembro de 2023. Os dados são da Pesquisa Mensal de Serviços, publicada pelo IBGE.

Com o acréscimo de 0,3% no mês de dezembro, o setor de serviços está 11,7% acima do nível de pré-pandemia (fevereiro de 2020) e 1,7% abaixo do ponto mais alto da série histórica (dezembro de 2022).

A última vez que o setor de serviços havia crescido por três anos consecutivos no país foi no período de 2012 a 2014, quando acumulou um ganho de 11,3%.

PUBLICIDADE
logo-contil-1.png

Anuncie (Publicidade)

© 2023 ContilNet Notícias – Todos os direitos reservados. Desenvolvido e hospedado por TupaHost