20 de abril de 2024

Mais de 300 agentes buscam por acreanos foragidos no RN; pegadas e roupas são encontradas

Uma verdadeira força tarefa foi montada para realizar as buscas pelos fugitivos

As buscas pelos acreanos que fugiram da Penitenciária Federal de Mossoró, no Rio Grande do Norte, entraram no terceiro dia nesta sexta-feira (16) e contam com mais de 300 agentes de segurança.

Este é um dos cinco presídios de segurança máxima do país/ Foto: Reprodução

Durante a madrugada, as equipes de busca encontraram no meio do mato, zona rural de Mossoró, pegadas, peças de roupas e lençol. Segundo os policiais, os itens foram furtados na mesma noite da fuga, quarta-feira (14), de uma casa que fica a 7 quilômetros do presídio.

Pegada, camiseta e toalha encontradas nesta sexta-feira (16) durante buscas pelos 2 fugitivos da penitenciária federal do Rio Grande do Norte/Foto: Divulgação

LEIA TAMBÉM: Após fuga de acreanos, Lewandowski anuncia reconhecimento facial e muralhas em prisões

Uma verdadeira força tarefa foi montada para realizar as buscas pelos fugitivos. Os agentes acreditam que os dois ainda entejam na área. Ao todo, um raio de 15 km em torno do presídio está sendo vasculhado. Agora as buscas se concentram na área onde as pegadas e peças de roupa foram achadas.

Os detentos Deibson Cabral Nascimento (à esquerda) e Rogério da Silva Mendonça fugiram da Penitenciária Federal de Mossoró (RN)/Foto: Reprodução

Estão empenhados na busca pelos foragidos acreanos, 100 agentes da Polícia Federal; 100 agentes da Polícia Rodoviária Federal; 100 agentes das forças policiais locais (civil e militar); 3 helicópteros (1 da PRF, 1 da PF e 1 da Secretaria de Segurança Pública do RN); drones e cães farejadores.

Ainda na manhã desta sexta-feira, estão sendo enviados de Brasília 25 integrantes do Comando de Operações Táticas da PF (COT), unidade de elite da PF, e sete policiais do Grupo de Resposta Rápida da PRF (GRR).

Sobre a fuga

Em entrevista coletiva cedida nesta quinta-feira (15), o ministro classificou a fuga como um episódio fortuito e atribuiu a fuga a uma reforma que está sendo realizada no presídio. De acordo com a investigação, Rogério da Silva Mendonça e Deibson Cabral Nascimento fugiram pelo o teto das celas, arrancando uma estrutura metálica de alumínio e cabos de energia ligados à iluminação da cela.

LEIA MAIS: Investigações apontam como acreanos fugiram de presídio no RN; polícia só percebeu após 2 horas

A penitenciária está passando por uma reforma. E foi justamente com uma ferramenta utilizada nas obras que os dois detentos cortaram um alambrado e fugiram no pátio do presídio. A direção da penitenciária só deu conta da fuga dos dois, duas horas depois, por volta das 05h da manhã.

De acordo com Ricardo Lewandowski, os fugitivos ainda podem estar na região próxima à prisão, pois as imagens de vídeo não mostraram nenhum veículo realizando o resgate dos dois.

PUBLICIDADE
logo-contil-1.png

Anuncie (Publicidade)

© 2023 ContilNet Notícias – Todos os direitos reservados. Desenvolvido e hospedado por TupaHost