28 de maio de 2024

Médico do Samu de Porto Velho ajuda a salvar vidas em missão no Rio Grande do Sul

Profissional já atuou em outros desastres que aconteceram no Brasil

O médico Marcos Berti Cavalcanti, que há 19 anos atua no Serviço Móvel de Urgência (Samu) da Secretaria Municipal de Saúde de Porto Velho, integra a força-tarefa estadual que está no Rio Grande do Sul para auxiliar no resgate de vítimas. Cirurgião-geral e pediatra, intensivista, especialista em resgate, salvamento e transporte aeromédico, o profissional chegou à sua quinta missão de ajuda humanitária em situações de emergência.

A oportunidade de integrar a força-tarefa surgiu em razão da experiência profissional na saúde e também das certificações internacionais como instrutor aeromédico. Além do Rio Grande do Sul, o médico esteve presente em desastres como enchentes, desmoronamentos de terra e outros eventos catastróficos em diversas partes do Brasil, incluindo Petrópolis e Teresópolis (RJ), em 2011; na cheia histórica de Porto Velho, em 2014, e do Acre, em 2015; no rompimento da barragem de Brumadinho (MG), em 2019.

Médico de Rondônia ajuda nos resgates no Rio Grande do Sul/Foto: Redes Sociais

Desde que chegou no Rio Grande do Sul, há cinco dias, Marcos Berti trabalha como Operador de Suporte Médico (OSM), com atribuições específicas a bordo de ambulância aérea na realização de operações aeromédicas de suporte avançado de vida, tendo o município de Canoas e proximidades como principais pontos de atuação.

O médico descreve como uma catástrofe o cenário presenciado. Mesmo com toda experiência como socorrista do Samu e também em outras missões humanitárias, diz que estar nessa força-tarefa é uma situação emocional completamente diferente do que já viveu.

“Ver pessoas sofrendo, desabrigadas, alagamentos, vidas ceifadas, animais mortos, fauna e flora devastada, é um cenário triste de se ver. Mas, graças a Deus, o povo brasileiro é diferente. Muitos ajudando, contribuindo e cada um fazendo sua parte da melhor maneira possível, isso que é bonito de ver, emociona e vai fazer a diferença na vida de muitos”, declara o médico.

Ao descrever o trabalho realizado até o momento, Marcos Berti enfatiza a intensidade que acompanha o resgate das vítimas, mas destaca a motivação e a resiliência da equipe diante das adversidades. Ele reforça, ainda, a importância da atuação em equipe para salvar, prevenir, cuidar e ajudar.

“Temos aqui voluntários de todo o Brasil, todos prontos para ajudar. Onde a gente passa somos aplaudidos, elogiados e com palavras de agradecimentos. Observei muitas pessoas com nó na garganta segurando as emoções para não chorar, mas visível as lágrimas acumuladas. Essa é nossa missão, somos treinados para isso, estar onde ninguém pode, fazer o que ninguém quer para que outros possam viver. Operações aéreas é o que somos, heróis anônimos, guerreiros sem face, voar, pairar, salvar”, finaliza o médico com um brado do grupo de operações aéreas.

CAMPANHA

Iniciada na quarta-feira (8), a campanha de solidariedade SOS Rio Grande do Sul tem mobilizado milhares de rondonienses em busca de colaborar com doações para a população do Rio Grande do Sul, afetada pelas enchentes que atingiram mais de 400 municípios do estado. Promovida pela Associação Rondoniense de Municípios (Arom) e parceiros, a campanha tem como objetivo mobilizar a população dos 52 municípios de Rondônia a doarem roupas e mantimentos para o estado do Rio Grande do Sul.

Podem ser doados alimentos não perecíveis, águas, roupas, cobertores e itens de higiene pessoal como fraldas geriátricas de todos os tamanhos, fraldas infantis, absorventes e ração animal. Os principais pontos de coleta funcionam no Prédio do Relógio, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, e também na sede da Arom, na av. Farqhuar, 2985, Panair, das 8h às 17h. Além disso, a Biblioteca Municipal Francisco Meirelles também está recebendo as doações.

PUBLICIDADE
logo-contil-1.png

Anuncie (Publicidade)

© 2023 ContilNet Notícias – Todos os direitos reservados. Desenvolvido e hospedado por TupaHost