Chimpanzé de Michael Jackson recebe mesada e vive em santuário

Conhecido como Bubbles, o Chimpanzé era um dos animais que Michael Jackson criava no rancho Neverland

Michael Jackson criava diversos animais no rancho Neverland, mas um deles tinha destaque, o chimpanzé Bubbles. Após a morte do cantor, em 25 de junho de 2009, o animal chegou a “receber” uma herança de quase 2 milhões de dólares.

O valor foi aplicado em uma conta e os rendimentos mensais chegam a cerca de R$ 11 mil e funcionam como uma espécie de mesada para o primata.

Hoje com 41 anos, Bubbles vive em um luxuoso santuário de animais na Flórida, o Center for Great Apes (Centro para Grandes Primatas, em tradução livre). No local, ele faz atividades como pintura e gosta de ouvir música. Esse é o segundo centro em que ele morou após o rancho.

Foto: Instagram/Reprodução

Grudados

No rancho Neverland, ele chegou ainda pequeno, em 1986, quando foi comprado pelo artista. Os dois andavam grudados e ele chegou a dormir em um berço no quarto de Jackson e até mesmo usar o banheiro do cantor, além de vestir roupas parecidas com as dele.

Em 2003, o chimpanzé foi levado a um santuário por decisão do próprio Michael. A ordem veio quando o animal chegou à fase adulta e se tornou mais agressivo, o que fez o cantor temer um ataque ao filho mais novo, Bigi, que na época era um bebê.

Veja como estão filhos de Michael Jackson 15 anos após morte do cantor

Michael Jackson morreu em 25 de junho de 2009, ao 51 anos. O cantor deixou três herdeiros: Prince Jackson, 27; Paris Jackson, 26; e Bigi (Blanket) Jackson, 22. Desde que o pai faleceu, os filhos optaram por seguir caminhos diferentes e, também, lidam com a fama de maneiras distintas.

Os três nasceram por meio de fertilização in vitro. Debbie Rowe é mãe dos mais velhos, mas, até hoje, não há detalhes sobre a identidade da genitora de Bigi.

Debbie era assistente do médico responsável pelo tratamento da vitiligo do cantor, uma grande fã e se disponibilizou a ser mãe dos herdeiros de Michael, que sonhava ser pai.

Ela e Michael foram casados por dois anos e, após a separação, abriu mão dos direitos maternos. Depois da morte do artista, a criação das crianças ficou por conta de Katherine Jackson, mãe do cantor.

Prince Michael Jackson

Considerado o mais “equilibrado” dos irmãos, Prince tem Macaulay Culkin e Elizabeth Taylor como padrinhos. Ele é formado com honras em administração de empresas com foco em empreendedorismo e trabalha como empresário.

Quando ainda estava na faculdade, ele criou uma organização de caridade para distribuir alimentos durante a pandemia da Covid-19. Há mais de sete anos, Prince namora Molly Schirmang. O casal se conheceu durante a graduação e, atualmente, mora junto.

Os dois levam uma vida discreta, longe dos holofotes, apesar dos quase 900 mil seguidores no Instagram de Prince. Até hoje, ele é amigo do guarda-costas que tinha na infância e gosta de mostrar as habilidades com motocicletas por meio de um canal no YouTube.

Paris Jackson

A filha do meio de Michael ganhou fama após um discurso emocionado durante o funeral do cantor. Entretanto, ela passou por um período difícil após a tragédia e tentou suicídio em algumas ocasiões. A jovem também foi alvo de gordofobia praticada pela própria família e começou a sofrer automutilação.

Paris também enfrentou problemas com drogas e foi enviada para um colégio interno. Ela chegou a relatar ter sido vítima de abuso infantil e que desenvolveu estresse pós-traumático. No entanto, posteriormente, a jovem revelou que se encontrou na meditação.

Na vida profissional, Paris seguiu os caminhos do pai e também se tornou cantora. Em 2020, ela lançou o álbum Wilted. Além disso, é influenciadora e atriz e, em 2021, declarou ter estreitado relações com a mãe e que, hoje, mantém um vínculo muito forte com ela. Entretanto, ainda permanece um pouco distante da família devido à orientação sexual.

Bigi Jackson

O filho mais novo de Michael foi batizado como Prince Michael Jackson II e é conhecido como Blanket. Entretanto, ele mudou legalmente de nome, em 2015, e também vive longe dos holofotes.

Aos 9 meses de vida, Bigi esteve no centro de uma polêmica. Para mostrar o filho a uma multidão que o esperava à porta do hotel em que estava hospedado, em Berlim, Michael Jackson apresentou o bebê na varanda, como em uma famosa cena do filme O Rei Leão. Após o episódio, o cantor recebeu diversas críticas por ter colocado a criança em risco.

Quando tinha 18 anos, Bigi foi morar em uma mansão milionária e, hoje, raramente atende a imprensa. Em 2024, ele entrou com um processo contra a avó Katherine Jackson, que também é herdeira da fortuna do cantor, para tentar impedir que ela use o dinheiro do espólio para custear um processo que envolve justamente a herança deixada por Michael.

PUBLICIDADE
logo-contil-1.png

Anuncie (Publicidade)

© 2023 ContilNet Notícias – Todos os direitos reservados. Desenvolvido e hospedado por TupaHost