Rio Branco, Acre,


Mulher viaja 60 km com filha deficiente e chora ao encontrar INSS fechado em CZS

Ao chegar na agência foi informada de que o médico não a atenderia e não conteve as lágrimas

Muitas pessoas que estavam com a perícia agendada para essa segunda-feira,14, deram de cara com portas fechadas em Cruzeiro do Sul.

Em todo Brasil, houve problemas no atendimento das agências. Isto porque, nem todos os médicos de perícia retornaram aos trabalhos presenciais, suspensos devido a pandemia de coronavírus.

PUBLICIDADE

A agricultora Maria Viana da Silva, de 58 anos, saiu da Agro Vila do Muju, em Manoel Urbano, e gastou cerca de R$ 300 com táxi para se deslocar até Cruzeiro do Sul com sua filha, que tem paralisia cerebral e está com o benefício suspenso desde abril.

Porém, ao chegar na agência foi informada de que o médico não a atenderia e não conteve as lágrimas.

“Eu quero o benefício por direito dela, eu compro duas caixinhas do remédio dela por cem reais, que é o remédio pra ver se ela consegue dormir. Eu vou lutar pelo benefício dela, nem que seja através da justiça”, disse em entrevista à imprensa local.

Segundo a direção do INSS de Cruzeiro do Sul, a agência está com problemas na energia elétrica e falta de estrutura pra retornar os atendimento. Por isso, não há uma data prevista para o retorno das atividades presenciais.

Quanto ao problema da garota deficiente, a direção lamentou a situação é disse que se o agendamento for para procedimento de primeira solicitação será necessário, primeiramente, procurar a Assistência Social do CAD ÚNICO.

Com informações do Juruá em Tempo.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários


Recomendado para você

Últimas Notícias

Scroll Up