33.3 C
Rio Branco
5 agosto 2021 3:51 pm
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Sete candidatos para uma vaga: disputa para o Senado promete ser a mais acirrada da história do AC

POR THIAGO CABRAL, DO CONTILNET

Cenário indefinido

A disputa pela única vaga ao senado no ano que vem promete ser dura. Até o momento já foram postos para a disputa os nomes de Mailza Gomes (PP), Márcia Bittar, que deve vir pelo PSL, Socorro Neri (PSB), Alan Rick (DEM), Vanda Milani (SD), Sanderson Moura (PSOL) e o de Jorge Viana (PT). Se todos mantiverem suas candidaturas, o pleito tem tudo pra ser o mais disputado da história do Acre.

Tirando a tinta

Após mais de dois anos de governo Gladson, e depois de pintar tudo azul, o governador voltou atrás e vai devolver as cores originais aos prédios e equipamentos que sua gestão “azulou”. A decisão veio a partir das inúmeras críticas que o governador recebeu após adotar a cor como padrão para alguns equipamentos públicos. O último deles e o que gerou mais barulho foi a caixa d’água do bairro 6 de Agosto, que além da pintura também recebeu uma frase afirmando que a Revolução Acreana aconteceu ali, mas logo foi apagada por se tratar de uma informação inverídica.

Justificou

O governador, aliás, disse que tudo vai voltar a como era antes. “O estádio Arena da Floresta vai continuar sendo Arena da Floresta e não Arena Acreana. A caixa d’água do bairro 6 de Agosto terá a pintura na cor prata original ou na cor bronze dos últimos anos. Também vamos recuperar a pintura original do Colégio Estadual Barão do Rio Branco. O que tem que prevalecer é o bom gosto, a sobriedade no uso de cores, que deve levar em conta valores estéticos e históricos”. Gladson também garantiu que os pórticos de parques e o Palácio Rio Branco não serão pintados de azul, como se chegou a especular nas redes sociais. “Sou autêntico e isso inclui minha capacidade de recuar e reconhecer eventuais erros de minha gestão. Já fiz isso várias vezes e farei quantas forem necessárias. Minha preocupação é evitar o erro daqueles que perderam a capacidade de ver e ouvir e jamais recuaram ou admitiram as suas falhas. Não carrego esse peso”, finalizou.

Homenageada

A deputada federal Perpétua Almeida (PCdoB) foi homenageada pelo seu partido em Brasília. Perpétua, que foi líder da legenda na Câmara Federal em 2020 ganhou uma placa na galeria de líderes do PCdoB e teve sua atividade parlamentar enaltecida pelo atual líder dos comunistas, o ex-prefeito de Olinda (PE) e deputado federal por Pernambuco, Renildo Calheiros. “Perpétua já está na história do PCdoB e sua liderança em 2020 mostrou sua capacidade de articulação e perseverança num ano tão atípico para o país e para o mundo. Isso mostra a alta capacidade dos deputados da nossa bancada e a importância da ocupação dos cargos políticos pelas mulheres”, disse.

Contagem regressiva

Perpétua tá a cada dia mais perto de conseguir colocar em votação o seu Projeto de Lei que visa proibir militares da ativa de ocuparem cargos da administração pública. Ontem, a deputada divulgou em suas redes sociais que já tem 140 assinaturas e que faltam apenas 31 para o projeto ir para a votação.

Cafezinho

Famoso por acordar cedo e estar sempre acompanhado de um cafezinho durante as disputas eleitorais que participou, o ex-prefeito Marcus Alexandre voltou a ativa. Nas redes sociais, Marcus Alexandre tem registrado suas visitas a comércios e residências nos últimos dias, e claro, sem faltar o café.

Dedo no olho e gritaria

Mazinho Serafim, prefeito de Sena Madureira, é daquelas pessoas que não leva desaforo pra casa. Depois de ser criticado pelo deputado estadual Gehlen Diniz (PP), que em sessão da Aleac pediu que TCE e MPAC fiscalizassem a prefeitura, Mazinho partiu para o ataque. “Esse cara ainda não desceu do palanque. Ano que vem ele vai descer não só do palanque, mas na balsa. Ele e esse mentiroso desse governador”, disparou.

Reclamou

O deputado estadual Edvaldo Magalhães (PCdoB), classificou como “questionáveis” as razões apresentadas pelo governador para vetar parcialmente o projeto de sua autoria que visa a contratação de médicos formados no exterior para atuar durante a pandemia, de forma emergencial. Apesar da reclamação, o deputado comemorou: “considero mais um passo vitorioso, porque o veto não inviabiliza a proposta, apenas restringe”. Porém, Edvaldo pediu pressa. Ele quer que a Aleac analise o quanto antes os vetos.

Sem greve

Quando desceu do gabinete pra ir conversar, na rua, com os grevistas da saúde, o governador Gladson Cameli garantiu que, “com calma”, iria resolver as demandas dos trabalhadores. Hoje, após reunião entre governo e categorias, a greve foi suspensa. Para conseguir cessar a paralização, o governo prometeu o pagamento de auxílio covid, publicação de edital de concurso público efetivo até o final deste ano, abonar as faltas dos servidores que aderiram a greve, entre outros pontos. Falta agora resolver com a Educação.

Emoção

A secretária de Empreendedorismo e Turismo, Eliane Sinhasique, se emocionou hoje enquanto esperava para tomar a vacina anti-covid. A “Pequena” postou um vídeo em suas redes sociais e não segurou as lágrimas. “Gente, eu tô na fila para receber a vacina e tô emocionada, aguardando ansiosa a minha vez. Meu Deus, está chegando a hora da imunização”, comemorou.

Sem Sputnik

Não foi dessa vez que o Acre foi contemplado para importar o imunizante russo. O aval da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), concedido na última nessa terça-feira (15), foi apenas para os estados do Rio Grande do Norte, Mato Grosso, Rondônia, Pará, Amapá, Paraíba e Goiás.

Não faz falta

O governador Gladson Cameli anunciou em março que o Estado compraria da empresa russa 700 mil doses do imunizante, porém, com a nova negativa, a Sputnik V está cada vez mais longe de pousar em solos acreanos. Mas segundo o governador Gladson Cameli, não fará falta. “Pelo planejamento que o Ministério da Saúde tem sobre a quantidade de vacinas que está chegando e que ainda vai chegar, acredito que não será necessário a compra, por mais que seja aprovada”, disse.

Os artigos são de responsabilidade exclusiva dos autores. É permitida sua reprodução, total ou parcial desde que seja citada a fonte.