25.3 C
Rio Branco
27 setembro 2021 5:06 am

Polícia ainda não consegue comprovar organização criminosa ligada a crimes de Lázaro

Foram concluídos 13 inquéritos, dos quais 10 serão arquivados devido à morte do investigado. Não foi confirmado que crimes tenham envolvimentos de políticos ou empresários, como suspeitado anteriormente.

POR G1

Última atualização em 28/07/2021 17:21

Após a conclusão de 13 inquéritos que investigavam os crimes dos quais Lázaro Barbosa era suspeito, a Polícia Civil não conseguiu comprovar a existência de uma organização criminosa ligada ao foragido. Durante as apurações, os investigadores acreditavam no envolvimento de empresários e até políticos. Porém, novos procedimentos podem ser abertos se houver indício de envolvimento de mais pessoas.

Lázaro era apontado como autor de mais de 30 crimes em Goiás, na Bahia e na Distrito Federal. Entre eles está o assassinato de uma família em Ceilândia. Este caso ainda segue em investigação. O foragido morreu em confronto com a polícia após 20 dias de fuga.

Dos inquéritos concluídos, houve o pedido de arquivamento de dez, por considerar que Lázaro agiu sozinho. Não foram detalhados os crimes e as vítimas relacionadas a esses processos.

Um fazendeiro, a ex-mulher de Lázaro, a mãe dela e a viúva do foragido respondem na Justiça por ajudar na fuga. Um caseiro chegou a ser preso, mas o caso foi arquivado porque não ficou comprovado que ele teve envolvimento do favorecimento.

Após a morte de Lázaro, no dia 28 de junho, a polícia divulgou que o homem poderia agir como uma espécie de jagunço para fazendeiros da região e que os crimes poderiam estar ligados a conflitos fundiários.

VEJA MAIS

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
É permitida sua reprodução total ou parcial desde que seja citada a fonte. Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.