30.3 C
Rio Branco
24 novembro 2021 3:32 pm
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Tchê quer que bares e restaurantes do Acre protejam mulheres em situação de risco de violência

POR THIAGO CABRAL, DO CONTILNET

Segurança das mulheres

O deputado estadual Luis Tchê (PDT) protocolou hoje, na Aleac, uma proposta de projeto de lei que dispõe da segurança da mulher em bares, casas noturnas, restaurantes e afins. “Pedimos nessa PL que os bares, casas noturnas, restaurantes e similares adotem medidas de auxílio à mulher que se sinta em situação de risco. Não podemos deixar de tratar um assunto com tanta relevância”, disse o deputado.

Números

A importância do projeto do deputado se traduz nos números da violência contra a mulher no estado. Segundo dados divulgados pelo Ministério Público, o Acre foi considerado um estados mais perigosos para as mulheres. “Do primeiro dia do ano, até 14 de julho, a Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (DEAM) registrou 540 inquéritos de violência contra a mulher”, argumentou o pedetista.

Ônibus

A vereadora da Capital, Michelle Melo (PDT), alfinetou o prefeito Tião Bocalom (PP) nas redes sociais sobre a questão do transporte público. Após a redução do valor da passagem, Melo disse que está “esperando pra ver a mágica acontecer na Prefeitura do País das Maravilhas”. A crítica, é que segundo a vereadora, além do valor da passagem, o transporte público de Rio Branco sofre com muitos outros problemas, como a frota reduzida, ônibus sucateados e a demora.

Golpe

O vereador de Rio Branco, Samir Bestene (PP), usou as redes sociais para alertar sobre uma tentativa de golpe que estão tentando aplicar em seu nome. Usando uma foto do vereador, golpistas estão usando o número 689614-9774 no Whatsapp, e se passando por ele. O golpista chegou a trocar mensagens com a mãe do vereador. Todo cuidado é pouco.

Auxílio Brasil

O novo programa que o Governo Federal quer criar para substituir o Bolsa Família, chamado de Auxílio Brasil, foi motivo de crítica da deputada federal Perpétua Almeida (PCdoB). “O Auxílio Brasil, programa que o Governo quer criar, é um programa temporário que tem data para acabar, após as Eleições de 2022. Coincidência ou política eleitoreira? Por que Bolsonaro não aumenta o Bolsa Família, que é um programa social que funciona, ao invés de criar um auxílio temporário?”, questionou.

Não faz ideia

E por falar no novo programa, o deputado federal Marcelo Aro (PP-MG), relator da MP que trata do Auxílio Brasil na Câmara Federal, disse hoje que não tem ideia de como será possível prover R$ 400 para os beneficiários do novo Bolsa Família sem estourar o teto de gastos. “Hoje, Bolsonaro disse que o mínimo (do Auxílio Brasil) é R$ 400. E tudo dentro do teto. Isso é o paraíso, porque fomentamos o auxílio social. Como Bolsonaro fará isso não faço ideia. Alguém amanhã pode dizer para ele que isso pode não ser viável. Mas a equipe econômica, quando quer, tem solução para tudo. Pode ter algum recuo nas próximas horas”, falou à CNN Brasil.

Sem raio-X

Há cinco meses que a população de Tarauacá tem sofrido com a falta de um aparelho de raio-X no hospital da cidade. O problema foi levado à Aleac pelo deputado Neném Almeida (Podemos), nesta quarta. “O aparelho foi comprado, mas não foi instalado. O povo segue sem acesso à saúde, que lhe é direito. São 45 km até a cidade mais próxima para realizar o exame. Como se tamanho descaso não fosse o suficiente, o vereador Arife Rego denunciou que as cirurgias eletivas não estão sendo realizadas por falta de anestesista. Eu pergunto: até quando? Eu clamo por socorro pelo meu povo!”

Problemas

Em agenda no bairro Tancredo Neves, em Rio Branco, o deputado estadual Jenilson Leite (PSB) relatou que as reclamações que tem escutado são sempre as mesmas: falta de trabalho, esporte e cultura, custo de vida caro, energia cara, alimentos caros e gás de cozinha caro também. “Nossa população vem sofrendo muito com isso e essas coisas são fruto de decisões erradas na política econômica do Governo Federal e a falta de investimentos do Governo do Estado. Ou mudamos o rumo do Brasil e do Acre, ou a crise será mais profunda”, falou.

Solução

Para minimizar os efeitos dessa crise, o deputado apontou o caminho: “Precisamos de forma urgente criar mecanismos que ajudem todos. Com a criação de mais programas voltados para o aquecimento da economia, como investimentos em infraestruturas, agronegócios, agricultura familiar e na indústria inteligente 4.0. Só assim poderemos, aos poucos, mudar a realidade dos acreanos”, opinou.

Privatização

Uma Audiência Pública da Aleac vai debater, amanhã, os riscos e prejuízos que uma privatização do saneamento básico pode trazer para o Acre. Estarão presentes representantes do Depasa, MPAC, OAB, Conselho Estadual de Saúde, União Municipal das Associações de Moradores de Rio Branco, CUT, Associação dos Docentes da Ufac, Sintesac, UNIMETA e vereadores de Rio Branco, Xapuri e Bujari. A audiência terá a presença do palestrante Edson Aparecido da Silva, sociólogo e mestre em planejamento e gestão do território pela Universidade Federal do ABC. A audiência será transmitida pelo canal do Youtube da Aleac.

Os artigos são de responsabilidade exclusiva dos autores. É permitida sua reprodução, total ou parcial desde que seja citada a fonte.