25.3 C
Rio Branco
12 maio 2022 10:21 am

Petróleo e gás e a ascensão do Catar na disputa pelo mercado europeu

POR EZIO GAMA, PARA CONTILNET

Última atualização em 12/05/2022 10:21

A extensa guerra contra a Ucrânia afeta diretamente as relações comerciais de gás e petróleo no mundo. Haja a vista a Europa ainda ser dependente dessas commodities vindas da Rússia, além do fornecimento de energia.

A entidade ucraniana que faz a gestão do gasoduto em Kiev afirmou que os carregamentos russos através da central em uma área controlada por separatistas apoiados por Moscou serão cortados. Trata-se da primeira medida que pode afetar o fornecimento de gás natural russo, desde o início da invasão russa. Tal medida não deve ter impacto no mercado doméstico ucraniano, segundo afirmou o chefe da central de energia da Ucrânia.

Segundo autoridades de Kiev, a central recebe cerca de um terço do gás russo que passa pela Ucrânia em direção à Europa Ocidental.

Como resultado, isso abriu espaço (até antes de estourar a guerra) para, tanto os Estados Unidos, quanto países árabes, aproveitar a oportunidade para negociar suas commodities com a Europa.

Enquanto a guerra se prolonga, quem está de olho nesse imenso e urgente mercado europeu são os Estados Unidos, Austrália, a Arábia Saudita e o Catar. Ocidente e Oriente disputam agora uma corrida econômica como principal fornecedor para a Europa.

A União Europeia, com seus 27 Estados-membro, aceleram para sair das dependências russa, principalmente a Alemanha, que consome 55% do gás consumido vem da Rússia. O inverno está se aproximando e começa a preocupar a Europa, pois o gás se torna cada vez mais necessário.

É nesse cenário de urgência e ainda dependência que o Catar leva certa vantagem na mesa de negociações. O plano do Catar para aumentar suas exportações de GNL (Gás Natural Liquefeito) em 64% até 2027 foi anunciado em 2019. Com a guerra na Ucrânia, o país aproveita para anunciar que já havia feito volumosos investimentos para aumentar a produção de gás e a infraestrutura.

Um país pequeno, com menos de 3 milhões de habitantes, porém rico em reservas naturais e finanças, tende a se enriquecer mais ainda nesse cenário. Atualmente, a China é o maior importador de GNL do Catar. Agora, abre-se as possibilidades de grandes e vultuosos contratos com a Europa.

Muitas mudanças e surpresas temos visto no mundo, tanto em termos de economia, geopolítica, de saúde e agora militar. Eu poderia me arriscar a dizer que seria uma “pangeia” geopolítica e econômica mundial se ajustando a novos cenários. Muitas águas ainda rolarão. Quem viver verá!

É PERMITIDA SUA REPRODUÇÃO PARCIAL COM O SITE CONTILNETNOTICIAS.COM.BR SENDO LINKADO E CITADO.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Receba nossas notícias em seu email

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 5.857 outros assinantes

Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.