20 de fevereiro de 2024

Acreana que começou costurando roupa de bonecas em casa vira empreendedora de sucesso

Isabele Oliveira trabalha com moda infantil, confeccionando as próprias peças

Neste domingo (19) é comemorado o Dia Mundial do Empreendedorismo Feminino, data que tem o objetivo de evidenciar e valorizar as mulheres como protagonistas no campo empresarial. Ao todo, 23.564 mulheres são donas do próprio negócio no estado, o que representa apenas 24% de todo o setor.

Para celebrar essa importante data, o ContilNet conversou com personagens inspiradoras, como a estilista Isabele Oliveira, de 26 anos, proprietária do Ateliê Jaguatirica, em Rio Branco, voltado para a moda infantil.

Isabele participa de feiras de empreendedorismo na capital acreana – Foto: Reprodução/Redes Sociais

A paixão pela costura faz parte da vida da empreendedora desde muito cedo. Quando criança, Isabele utilizava a máquina de costura de sua casa para fazer as roupas de suas bonecas. No entanto, com o passar dos anos a paixão deu espaço a outras prioridades, como por exemplo, a faculdade. A jovem conta que iniciou a graduação em Enfermagem, no entanto desistiu do curso por não se identificar.

“Desde pequena sempre costurei muito para as minhas bonecas. Era uma paixão, tinha uma máquina de costura em casa e então eu brincava. Mas isso ficou guardado em um cantinho, pois a vida foi mudando e eu comecei a fazer faculdade, me levando para outros rumos. Na faculdade eu não consegui me encontrar, então eu tranquei”, lembra.

Casada e mãe de uma menina, Isabela conta que viu a necessidade de encontrar uma fonte de renda, foi então que seus caminhos novamente se cruzaram com o da costura.

“Após a pandemia eu tive aquele estalo de que eu precisava trabalhar um pouco mais para dar algo melhor para a minha filha. Então eu comecei a pegar peças para revender, eu sabia costurar, mas achava que ainda não tinha capacidade suficiente para fazer roupas e vender. A família do meu esposo é uma família de costureiros, então passei a observar muito”, conta.

As peças do ateliê são feitas por Isabele – Foto: Cedida

Em 2022, com o ateliê ganhando vida, a jovem mãe passou a treinar suas peças costurando para a própria filha, que na época tinha menos de um ano. “Eu comecei a construir o ateliê fazendo roupinhas para ela. Quando eu saía na rua as pessoas começavam a perguntar se eu vendia. Então comecei a fazer as roupinhas mais personalizadas para ela, fazendo acabamento e treinando na filha, né!”, revela.

A empreendedora passou, então, a fazer cursos para se especializar em moda infantil, e desde então, seu empreendimento vem crescendo a cada dia, conquistando clientes não só do estado do Acre, mas também de várias partes do Brasil. Hoje a renda de Isabele e de sua família é totalmente gerada pelo ateliê.

“Eu me sinto realizada, tanto de está conseguindo trabalhar, de ser mãe e empreendedora e conseguir conciliar isso. Hoje a minha sogra, que estava desempregada, trabalha comigo. Virou um negócio familiar, todos os dias a família trabalha unida. Isso é ótimo para minha filha, pois ela vai está com a mãe e o pai até o dia em que ela for para a creche”, ressalta.

play-sharp-fill

Todas as roupas são feitas passo a passo por Isabele, que nas redes sociais do ateliê, além de expor as peças, mostra o processo de confecção das peças. A página no Instagram da loja já soma mais de 2.200 seguidores, demonstrando o sucesso do negócio, que tem pouco mais de um ano e tem sido responsável por transformar a vida de uma mãe empreendedora.

PUBLICIDADE