Governo garante confirmação de R$ 17 milhões para nova Maternidade e R$ 5,8 milhões para Hospital da Criança

Investimentos estão previstos no novo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC)

“A construção da terceira etapa da nova Maternidade já foi aprovada. Em alguns meses, já teremos a nova Maternidade e um novo Pronto-Socorro Pediátrico”. A afirmação foi feita neste sábado, 11, pelo governador Gladson Cameli.

Veja o anúncio:

A afirmação do governador refere-se  à aprovação e garantia, já para o próximo ano, de R$ 17 milhões  para as obras da terceira fase da Maternidade de Rio Branco e mais R$ 5,8 milhões para ampliação do Hospital da Criança, também na capital, no novo Programa de Aceleração de Crescimento  (PAC), do governo federal.

Neste sábado, 11, se completam 100 dias do início das obras da nova Maternidade. “Estamos trabalhando a todo vapor numa grande obra que vai mudar a vida das pessoas, inclusive as que vão chegar”, reforçou Gladson Cameli.

Secretário Pedro Pascoal (de azul, ao centro) e técnicos da Sesacre buscaram apoio para o Acre junto a equipes do Ministério da Saúde. Foto: Wesley Moraes/Seplan

A garantia de que esses recursos já estão certos para o próximo ano no novo PAC foi confirmada para o secretário de saúde, Pedro Pascoal, por equipes do Ministério da Saúde, com quem ele se reuniu na semana passada, em Brasília, tratando sobre pleitos do Acre, inclusive de recursos no PAC para obras no Estado.

Também foi confirmada a aprovação da habilitação da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Cruzeiro do Sul, entre outras iniciativas, durante a reunião do secretário realizada na segunda-feira, 6, com equipes do MS que atuam no Departamento de Atenção Hospitalar, Domiciliar e de Urgência (Dahu) e na Força Nacional do Sistema Único de Saúde (SUS).

“O governo do Acre cumpriu todas as fases e cadastrou propostas para habilitação no novo PAC, que abrangem várias iniciativas de reforço ao atendimento à população”, afirmou o secretário Pedro Pascoal.

Equipes da Sesacre e do MS se reuniram em Brasília. Foto: Foto: Wesley Moraes/Seplan

Entre as propostas, o secretário relacionou a Central de Regulação das Urgências do Alto Acre – Samu; a Unidade de Suporte Avançado de Brasileia; e a Policlínica de Cruzeiro do Sul. “Para ambas as regionais também foram cadastradas propostas para a criação de um Centro de Especialidades em Reabilitação [CER] e Centro de Apoio Psicossocial [Caps], além de oficina ortopédica”, reforçou.

De acordo com Fernanda Naves, assessora do Dahu presente no encontro, os recursos para a maternidade e para o hospital da criança estão “carimbados no novo PAC” e estarão disponíveis a partir do próximo ano. E com a habilitação da UPA do Juruá aprovada, agora o Ministério da Saúde trabalha na elaboração da respectiva portaria para publicação. Trata-se, afirmou Pedro Pascoal, de mais uma vitória do governo para reforçar o atendimento da população.

MS trabalha na portaria a ser publicada sobre habilitação da UPA de Cruzeiro, disse Fernanda Naves, daquele ministério. Foto: Wesley Moraes/Seplan

“O funcionamento dessa UPA já é uma vitória do governo, que, no início da primeira gestão, conseguiu manter os recursos e colocar essa unidade para funcionar. Sua habilitação pelo MS possibilita reforço no atendimento, ao permitir o repasse de recursos federais” explicou Pascoal.

Seca

No encontro também foram tratados apoios específicos ao  Acre em virtude do problema da seca que o estado atravessa e que dificulta o acesso a municípios mais distantes, especialmente do Vale do Juruá. A pedido da Sesacre, técnicos do ministério já estiveram no estado tratando do assunto e estão sendo definidas formas de ajuda.

Na fila da direita, secretário Pedro Pascoal, diretor da Sesacre, Wanderson  Bragança, e coordenadora de Saúde do Juruá, Diani Carvalho. Foto: Wesley Moraes/Seplan

Também participaram da reunião, pela Sesacre, o diretor de Administração e Finanças, Wanderson Bragança, e a coordenadora de Saúde no Vale do Juruá, Diani Carvalho. Pelo MS estavam presentes a assessora Danielle Zacarias; e três integrantes da Força Nacional do SUS: o coordenador-geral, Paulo Campos e as consultoras técnicas Tarciana Suassuna e Bruna Costa.

PUBLICIDADE