Praga na mandioca pode elevar o preço da saca de farinha para R$ 500 no Acre; entenda

Por mês, o município produz mais de 15 mil sacas de farinha, chegando a 180 mil sacas ao ano

A praga do Mandarová tem se tornado um pesadelo para os produtores de Cruzeiro do Sul. Segundo dados da Secretaria de Agricultura de Cruzeiro do Sul, o ataque na lagarta nas plantações de macaxeira resulta na perda de 50% na qualidade e quantidade da produção.

SAIBA MAIS: Prefeitura decreta emergência devido ao ataque do mandarová

A mandioca é a matéria-prima para o produto carro-chefe da economia de Cruzeiro do Sul, a farinha. Segundo o secretário de agricultura, Eutimar  Sombra, a praga tem causado grandes prejuízos para os produtores e para a economia local.

A farinha de Cruzeiro do Sul é conhecida mundialmente por sua qualidade – Foto: Juan Diaz/ContilNet

“Em uma plantação onde se poderia produzir 20 sacas de farinha, agora se produz apenas 10. A qualidade da farinha também é afetada, chegando a um ponto em que fica quase difícil de consumir”, disse Eutimar à reportagem do Juruá 24 Horas.

O impacto causado pela lagarta deve ser sentido ainda, no valor da saca da farinha. O secretário estima que no próximo ano uma saca de farinha possa chegar a mais de R$ 400, em razão da escassez do produto.

“Se a situação se concretizar, haverá uma grande queda na quantidade de farinha disponível. Além disso, o preço pode aumentar mais de 60% acima do valor atual da saca. Se hoje a média está entre R$180 e 220 reais, o preço pode chegar a  R$ 400 ou 500 reais”, concluiu o secretário.

Por mês, o município produz mais de 15 mil sacas de farinha, chegando a 180 mil sacas ao ano, sendo a primeira a receber o Selo de Indicação Geográfica no Brasil. O produto é exportado para fora do Acre e até para outros países.

Com a redução de 50% na produção, os prejuízos não ficarão na conta apenas dos produtores, mas impactarão fortemente na economia local da região.

O que é mandarová?

A lagarta mandarová só precisa de poucos dias para devorar uma plantação inteira. A mandarová é uma das pragas mais perigosas na cultura da mandioca. Ela passa por cinco fases de desenvolvimento e, quando não é detectada no início, pode destruir todo o roçado. O mandarová pode medir entre 2 e 12 centímetros.

Praga da mandioca- Gervão; Mandarová (Erinnys ello) - Maneje Bem - Fitocon

Praga da mandioca/Foto: Reprodução

Quando o desfolhamento ocorre em plantas jovens (dois a cinco meses), as perdas são maiores do que em plantas mais velhas (seis a dez meses). Além disso, as lesões e ferimentos causados pelas lagartas facilitam a penetração de doenças na planta. Muitas vezes, a desfolha causada pelo mandarová nas culturas da mandioca não é suficiente para acarretar dano econômico, devido à capacidade de compensação das plantas para suprir a falta momentânea de folhas. Porém, os surtos verificados durante a década de 1990 ocasionaram perdas de produtividade estimadas em torno de 50% a 60%.

PUBLICIDADE
logo-contil-1.png

Anuncie (Publicidade)

© 2023 ContilNet Notícias – Todos os direitos reservados. Desenvolvido e hospedado por TupaHost

Praga na mandioca pode elevar o preço da saca de farinha para R$ 500 no Acre; entenda