28 de maio de 2024

Conheça a ex-servidora pública que deixou o emprego para vender doces: “Maior presente”

Lourdinha era servidora do MPAC e agora vive da venda dos seus doces

A Páscoa, além do significado para o cristianismo, que é a ressurreição de Jesus Cristo, há também o significado para o mercado: os doces. No Acre, diversas pessoas produzem doces e aproveitam este período para garantir uma renda extra.

Foi da renda extra que a acreana Lourdinha Farias saiu do cargo de assessora jurídica do Ministério Público do Acre (MPAC) para viver da venda dos doces.

Ao ContilNet, Lourdinha relembrou o início da sua carreira. Há 30 anos, Lourdinha começou a fazer doces para vender na unidade, quando cursava direito em Uberaba, município de Minas Gerais.

Lourdinha na Mausi Sebess/Foto: Cedida

“Eu fazia bombom de cupuaçu e levava para vender na universidade. Após um ano de formada me divorciei, retornei para Rio Branco em 2001 e fui trabalhar como assessora-jurídica no MPAC. Após um segundo divórcio, tive dificuldades financeiras, então comecei a levar escondido para vender dentro do MP. No começo eu fazia 01 lata de brigadeiro e outra de beijinho. Com uma semana, eu fazia uma caixa e meia de leite condensado. Em uma caixa vem 27 caixinhas”, explicou.

Após esse início, começaram a surgir pedidos para festas e os doces foram além de brigadeiro. Com isso, Lourdinha decidiu estudar confeitaria e fez um intercâmbio na Argentina para estudar Confeitaria Internacional pela Mausi Sebess.

Croc Croc é um dos doces da Ciranda das Artes/Foto: Cedida

“Na verdade tomaram essa decisão por mim. Eu sempre ficava dividida, porque enquanto servidora pública todo mês cai na sua conta o salário. Quem é da iniciativa privada não tem isso. A gente corre atrás”, explicou.

Lourdinha explicou ainda que a cada dois anos acontece a eleição para Procurador-Geral de Justiças e no início do novo mandato, todos os cargos comissionados são exonerados e depois retornam a convite. “Se não me falhe a memória, em 2017 eu não fui convidada a retorno e foi um dos maiores presentes que ganhei, porque pude me dedicar exclusivamente aos doces q tem um grande significado na minha vida”, disse.

Brigadeiro decorado feito por Lourdinha/Foto: Cedida

Lourdinha, que tem especialização em Pétit Fours (doces pequenos), trabalha com todos os tipos de doce, mas atualmente a Ciranda das Artes, empresa da acreana, se dedica a cozinha para doces finos, doces regionais e doces decorados, que fazem sucesso por onde passam.

Mini Tartellete feito por Lourdinha/Foto: Cedida

“Que eu passe o resto da minha vida enrolando brigadeiro”

“Quando eu acordo a primeira coisa que faço é agradecer a Deus por estar viva, depois eu peço para que Ele jamais permita que eu deixe os doces. Eu já estou emocionada só de falar, porque os doces tem um significado muito intenso para mim. Então um dos meus maiores desejos é que eu passe o resto da minha vida enrolando brigadeiro”, disse.

Doce fino com moeda de casadinho/Foto: Cedida

Lourdinha também relembra momentos em que achava que não ia dar conta, mas entregava todos os pedidos. “Pode parecer clichê, mas eu nunca estive só. Tudo eu devo ao meu Senhor. Tinha dias que eu estava “só” e olhava para o relógio e pensava ‘hoje vou me lascar’, mas eu juro por tudo que há de mais sagrado, o tempo parava. Não me pergunte como, mas o tempo parava e eu entregava todos os pedidos. Eu voltava chorando imensamente grata e sem entender nada”, ressaltou.

Doce o ano todo

A doceira afirmou que os acreanos gostam de doce e encomendam durante todo o ano, além da Páscoa. “Graças a Deus, eu tenho uma clientela assídua e fiel. Então nós temos pedidos durante todo o ano”, explicou.

Chocobrownie também é uma das opções da Ciranda das Artes/Foto: Cedida

Lourdinha faz doces por encomenda que pode ser feita pelo Instagram @cirandadasartes e através do telefone (68) 98427-7790.

PUBLICIDADE
logo-contil-1.png

Anuncie (Publicidade)

© 2023 ContilNet Notícias – Todos os direitos reservados. Desenvolvido e hospedado por TupaHost