11 de junho de 2024

Como a falta de comunicação pode mudar destinos: reflexões sobre traumas, gerações e relações

Traumas na infância, diferenças geracionais e inseguranças nas relações familiares, amorosas e profissionais são frequentemente moldados pela maneira como nos comunicamos

A comunicação é o alicerce de todas as relações humanas. Sua falta, no entanto, pode levar a destinos completamente diferentes daqueles que imaginamos. Traumas na infância, diferenças geracionais e inseguranças nas relações familiares, amorosas e profissionais são frequentemente moldados pela maneira como nos comunicamos, ou pela ausência disso.

Traumas na Infância e a Comunicação: as experiências traumáticas na infância muitas vezes deixam marcas profundas. Freud, pai da psicanálise, dizia que “os eventos da infância não passam, eles são revividos e recriados ao longo da vida”. Essa afirmação sublinha a importância de uma comunicação aberta e empática desde cedo. Crianças que não têm a oportunidade de expressar seus sentimentos podem carregar essas mágoas para a vida adulta, influenciando suas relações e escolhas.

Diferenças Geracionais: X, Y e Millennials: cada geração tem suas peculiaridades e maneiras de se comunicar. A geração X valoriza a estabilidade e o trabalho duro, os Y (ou Millennials), nessa geração estou incluída, buscam propósito e flexibilidade, enquanto a geração Z é nativa digital e altamente conectada. A falta de entendimento e comunicação entre essas gerações pode criar conflitos no ambiente familiar e profissional. Pais da geração X podem não compreender as aspirações dos filhos Millennials, resultando em desentendimentos que afetam a harmonia familiar, por exemplo.

Relações Familiares e Amorosas: pessoas perdem empregos e relacionamentos são desfeitos por falta de comunicação. Imagine um casal onde um parceiro, temendo perder o controle, evita discussões importantes, enquanto o outro, ansiando por clareza, sente-se sufocado. A ausência de diálogo pode levar ao fim de uma relação que tinha potencial para prosperar.

No âmbito familiar, pais e filhos podem se afastar por não conseguirem expressar suas emoções de forma clara. Freud também destacou que “a voz do intelecto é suave, mas não descansa até ser ouvida”. No entanto, muitas vezes essa voz é abafada por medos e inseguranças.

Histórias de Destinos Mudados pela Falta de Comunicação: Ana e João eram um casal apaixonado, mas a insegurança de João em relação ao seu emprego o tornava controlador e distante. Ele não conseguia falar sobre seus medos com Ana, e ela, por sua vez, se sentia cada vez mais sufocada e incompreendida. Sem um diálogo aberto, Ana decidiu terminar o relacionamento. Anos depois, João percebeu que a falta de comunicação foi o verdadeiro vilão. Seu destino e o de Ana poderiam ter sido diferentes se ambos tivessem se comunicado melhor.

A Psicologia e a Conexão entre Vida Pessoal e Profissional : Segundo a psicóloga brasileira Ana Beatriz Barbosa Silva, “não há como desconectar o trabalho da vida pessoal”. As inseguranças e traumas que carregamos influenciam diretamente nosso desempenho e relações no ambiente de trabalho. Um chefe inseguro pode projetar suas dúvidas nos funcionários, criando um clima de desconfiança e insatisfação.

Mas, a boa notícia é que sempre podemos mudar. Reconhecer nossas falhas de comunicação, arrepender-se e buscar reconciliação são os primeiros passos. Adotar uma comunicação assertiva e clara pode transformar nossos destinos, mudando de dentro para fora.

Nossa coluna busca inspirar essa transformação, incentivando todos a reconhecerem suas falhas comunicativas e a se arrependerem. Como Freud nos ensinou, os eventos da infância e a voz do intelecto têm um impacto duradouro, mas podemos moldar nosso futuro através do diálogo. Vamos começar hoje, comunicando-nos melhor e mudando nossos destinos para melhor.

Em comunicação sempre,

Maysa Bezerra

Escritora e Coach

PUBLICIDADE
logo-contil-1.png

Anuncie (Publicidade)

© 2023 ContilNet Notícias – Todos os direitos reservados. Desenvolvido e hospedado por TupaHost