11 de junho de 2024

‘Se eu estiver morrendo, bota ácido da melhor qualidade na minha boca e me deixe’, diz Ney Matogrosso

Em entrevista recente à revista Breeza, artista disse conviver muito bem com a ideia e revela já ter conversado com um médico sobre como deseja partir deste mundo

Aos 82 anos, Ney Matogrosso é consagrado na cultura nacional pelo talento artístico, franqueza e autenticidade que vai além dos palcos. Em entrevista recente à revista Breeza, o cantor falou sobre o uso de drogas e substâncias psicodélicas — algo que, segundo ele, ajudou no processo de autoconhecimento e entendimento próprio — e defendeu o direito do consumo até a morte.

Ney Matogrosso — Foto: Leo Aversa

Questionado quanto a estudos sobre os efeitos do uso de psicodélicos por pessoas no fim da vida — a exemplo de Cazuza, que consumiu ayahuasca até a morte, em 1990 — o artista diz conviver muito bem com a ideia e revela já ter conversado com um médico sobre como deseja partir deste mundo.

— Você sabe que eu já conversei com um médico amigo meu: “Olha, se eu tiver morrendo bota o ácido da melhor qualidade na minha boca, e me deixe morrer”. Não tente me manter vivo artificialmente e me dê um bom ácido e pronto, deixa eu ir. Ué, não temos que ir? Temos que ir em algum momento — conta Matogrosso à Breeza.

O artista diz já ter usado mais de 20 ácidos para autoconhecimento, além da maconha, que, para ele, ajuda a “ampliar a percepção” sobre aspectos pessoais. O uso, no entanto, não é mais regular. A maconha, por exemplo, somente é utilizada quando precisa de alguma solução.

— Eu uso a maconha quando tenho algum problema que eu não estou entendendo qual é a solução praquilo. Aí vem a solução (…) Nunca usei nada pra festa, nem vou pra festa. Eu uso essas coisas sozinho, prefiro sozinho. Eu fico antissocial, não consigo conversar, sabe? — explica.

Homenagem no Altas Horas

Conforme noticiou a coluna Play, do GLOBO, na última semana, Ney Matogrosso será homenageado no programa Altas Horas que vai ao ar neste sábado. Ele se apresentou ao lado de Roberto de Carvalho, viúvo de Rita Lee.

Os dois não tocavam juntos havia 40 anos. A música escolhida foi “Bandido corazón”, que a cantora compôs para Ney. Também participaram do programa Titãs, Seu Jorge, Ana Cañas, Eduardo Dussek, Ritchie e Duda Brack.

Cinebiografia

Ney Matogrosso terá sua história contada no cinema. Ainda sem previsão de lançamento, o filme “Homem com H” abordará diversas fases da carreira do cantor, desde a infância. O longa tem direção de Esmir Filho e terá o ator Jesuíta Barbosa na pele do artista homenageado.

PUBLICIDADE
logo-contil-1.png

Anuncie (Publicidade)

© 2023 ContilNet Notícias – Todos os direitos reservados. Desenvolvido e hospedado por TupaHost