Rio Branco, Acre,


Sexo com adolescente, sangue, fetiche e ritual macabro: Flordelis e pastor têm intimidade arregaçada

Em depoimento, testemunhas escancararam detalhes da intimidade de Flordelis e do pastor Anderson do Carmo – este foi morto no ano passado

O assassinato do pastor Anderson do Carmo em junho de 2019, em Niterói, região metropolitana do Rio de Janeiro, continua sem solução e, até o momento, pelo menos duas pessoas estão presos por envolvimento no caso: Lucas César e Flávio dos Santos Rodrigues – ambos filhos do evangélico com Flordelis, missionária e deputada federal pelo estado fluminense.

Anderson do Carmo foi brutalmente assassinado com vários tiros no dia 16 de junho de 2019 e, um ano depois do caso, os investigadores ainda não concluíram o inquérito, e a própria Flordelis é investigada como suspeita de participação no crime – a parlamentar nega que tenha envolvimento.

PUBLICIDADE

O fato é que desde a morte do pastor, a vida da deputada, bem como de seu marido, foram, literalmente, escancaradas na imprensa e, desde então, detalhes íntimos vieram à tona, como o fato do casal, supostamente, frequentar casa de swing, rituais de purificação, sexo com menor de idade e tortura aos filhos.

FLORDELIS E ANDERSON DO CARMO
A missionária evangélica e o pastor se casaram em meados dos anos 1990 e, juntos, adotaram vários filhos – recentemente, a polícia fluminense descobriu que o filho que os dois diziam ser biológico deles, Daniel, também é adotado.

Uma testemunha identificada como Maria Aparecida Limeira, de 69 anos, relatou à polícia em depoimento que já presenciou Flordelis agredir fisicamente os filhos, quando eles “faziam algum tipo de bagunça ou se comportavam de forma que desagradava” – as informações são do jornal Extra.
Ainda segundo a depoente, ela chegou a presenciar tanto Flordelis quanto Anderson do Carmo “passando pimenta na boca da criança que falasse palavrão”. Também em depoimento, Lucas, filho do casal evangélico que está preso, disse que a parlamentar tinha um taco de basebol que usava para bater “nos outros”.

Além de acusação de bater nos filhos, a deputada federal e o líder religioso também obrigariam seus filhos a trabalharem e, de quebra, ficava com todo o dinheiro para eles – a revelação foi feita por Maria Aparecida.

RITUAL, SEXO E QUARTO DE SWING
Flordelis e Anderson do Carmo são nomes bastante conhecidos na região de Niterói e São Gonçalo, principalmente no meio evangélico. Desde que o pastor foi morto e detalhes da vida íntima dos dois têm sido escancarados na imprensa, a igreja da parlamentar tem perdido fiéis.

Recentemente, em depoimentos prestados por testemunhas, e revelados pelo jornal Extra, veio à tona que Flordelis e Anderson do Carmo costumavam frequentar uma casa de swing – prática sexual fetichista que envolve a troca de casais – e, inclusive, teria um quarto exclusivo no local. Além disso, a parlamentar já teria sido vista completamente bêbada no recinto.

Um outro depoente, que não teve a identidade revelada, e que disse já ter morado na casa da pastora nos anos 1990, disse acreditar que participava de uma seita e chegou até a manter relação sexual com a deputada.

Segundo o depoimento do homem, quando começou a morar na casa de Flordelis, precisou passar por uma espécie de ritual de purificação, sendo obrigado a ficar isolado em um quarto durante sete dias. Certo dia, durante o isolamento, ele recebeu a visita da missionária evangélica e fizeram sexo – depois daquele dia, eles voltaram a transar outras vezes.

O homem também contou que certa ocasião participou de um ritual ainda mais íntimo e secreto na casa de Flordelis, no qual o pastor Anderson do Carmo ficava pelado no centro de um círculo feito a giz. A missionária fazia uma espécie de reza ou manta, no qual oferecia o líder evangélico como oferenda.

A mesma testemunha contou aos investigadores que uma vez uma adolescente foi trazida para a casa de Flordelis e Anderson do Carmo teria pedido autorização para transar com a menor de idade, e a parlamentar consentiu. “No entanto, a jovem não gostava dessa situação, mas obedecia o que era determinado por Flordelis”, diz trecho do depoimento. O homem ainda relatou que a evangélica recebia pastores estrangeiros em sua casa e uma das filhas era oferecida sexualmente para eles.

Por fim, o homem relatou que Flordelis obrigava alguns de seus filhos a cortarem a mão e escrever salmos da Bíblia com o próprio sangue.

Flordelis e o pastor Anderson do Carmo frequentavam quarto de swing, segundo testemunha (Reprodução)
Flordelis e o pastor Anderson do Carmo frequentavam quarto de swing, segundo testemunha (Reprodução)

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários


Recomendado para você

Últimas Notícias

× Faça sua denúncia