21 de fevereiro de 2024

Na Ponta da Língua: Gladson já definiu o futuro de Alysson e Minoru em 2024

Fontes próximas ao governador revelaram o posicionamento de Cameli, veja

Fontes palacianas já dão como certa a decisão de Gladson Cameli sobre a disputa de Alysson Bestene e Minoru Kinpara para ser o candidato oficial do governo na corrida pela Prefeitura de Rio Branco em 2024. O governador quer Alysson como futuro prefeito da capital e o PSDB já sabe da escolha. Gladson já deixou claro que PSDB e Progressistas estarão juntos em 2024.

Será?

Porém, o deputado estadual e presidente da Assembleia Legislativa do Acre, Luiz Gonzaga, que também preside a Executiva Estadual do PSDB, garantiu que a pré-candidatura de Minoru Kinpara à Prefeitura de Rio Branco no ano que vem continua firme e forte. Em entrevista à coluna, o parlamentar disse, inclusive, que o nome de Minoru foi apresentado ao governador Gladson Cameli sobre um possível candidato do governo.

“O Minoru segue como pré-candidato. A regional do partido se reuniu e nós decidimos que o Minoru é pré-candidato à Prefeitura de Rio Branco. Nós estivemos com o governador, expressamos a decisão da Executiva e ele aprovou prontamente”, disse.

O fato é: quem manda é o governador e, se for sábio, como tem se mostrado até aqui na forma de conduzir suas próprias campanhas, Gladson deverá tornar essa decisão oficial o quanto antes para não confundir a cabeça do eleitor.

Luiz Gonzaga é presidente da Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) e do PSDB/Foto: Juan Diaz/ContilNet

Até lá …

Gonzaga destacou ainda que até o final do período máximo para o lançamento oficial das candidaturas, durante as convenções partidárias, em abril do ano que vem, Minoru não deverá desistir da candidatura.

“Mais na frente é que vai se reunir os parceiros do governo para ver como vai ficar”, disse o presidente da Aleac sobre a candidatura de Alysson Bestene, atual candidato do governador Gladson Cameli e do Progressistas.

Justo!

O presidente da Aleac justificou a candidatura de Minoru usando um argumento bem objetivo: ele aparece bem nas últimas pesquisas de intenção de votos. “Não tem como a gente retirar a candidatura do Minoru”.

Upgrade

Ciente do enfraquecimento do PSDB nos últimos meses, Gonzaga disse que tanto a candidatura de Minoru na capital, quanto outras no interior, deverão recolocar o partido entre a alta cúpula da política no Acre. Atualmente, no estado, a sigla tem apenas um parlamentar na Assembleia Legislativa do Estado, justamente Gonzaga. O PSDB não conta com nenhuma Prefeitura nos municípios acreanos.

“Todo partido quer crescer. O PSDB não é diferente. Nós também queremos crescer. Claro, em uma composição onde tem muitos partidos, têm um momento em que você precisa se reunir para entrar em um consenso para escolher entre aqueles partidos os pré-candidato que é o melhor, ou que tem mais viabilidade”.

E o Minoru?

Enquanto Gonzaga reafirma a candidatura, Minoru pede cautela. Em entrevista à coluna, o presidente da FEM disse que ainda é muito cedo para definir qual o caminho que o partido deverá seguir em 2024.

Minoru Kinpara é o atual presidente da FEM. Foto: Juan Diaz/ContilNet

“Ainda tem muita água para passar por debaixo dessas pontes. A gente está à disposição do PSDB, que foi solicitado pelo partido. Mas nós estamos discutindo”, disse.

VEJA MAIS: Na Ponta da Língua: Minoru diz que candidatura é debatida dentro do PSDB e não descarta apoio a Alysson

Um sonho

Na verdade Minoru torce para que a candidatura de Alysson não decole e seja aclamado candidato oficial do governo na capital. É um sonho difícil de ser concretizado, a depender da cúpula do Progressistas, que vai fazer de tudo para que Alysson dispute e ganhe a Prefeitura de Rio Branco.

“Eu acredito que primeiro tem que ver se de fato esse projeto vai ser construído, vai se consolidar. Havendo essa decisão, a nossa ideia é caminhar junto”, completou Minoru.

Caso não dê certo …

Se o Progressistas bater o pé para emplacar a candidatura de Alysson, Minoru já tem um plano B. Vai tentar abocanhar a vice-prefeitura na chapa do Governo. Enquanto isso, a Fem segue como reduto tucano.

“Compomos a base e colocamos o nosso nome à disposição do governador Gladson Cameli. Vamos esperar, mas a nossa relação é de construir coletivamente. Nós iremos estar onde o governo decidir juntamente com o PSDB”, disse.

Progressistas no interior

A disputa pelas Prefeituras no interior também segue acirrada. No Bujari, por exemplo, só dentro do Progressistas, há pelo menos 4 candidatos que sonham em concorrer ao cargo pelo partido. Além disso, o atual prefeito Padeiro, pode disputar uma reeleição com apoio do governador Gladson Cameli, como aconteceu nas eleições de 2020.

Mulheres progressistas

Uma das que sonha em disputar a prefeitura é a vereadora Aparecida Rocha, do Progressistas. À coluna, ela disse que tem pelo menos o apoio de outros 3 parlamentares do partido.

“Sou militante do partido desde minha adolescência, sempre estive em todas as batalhas para defender o projeto do partido em Bujari. Hoje me sinto preparada para ser pré -candidata majoritária pelo meu partido PP”, disse.

Aparecida Rocha, vereadora do Progressistas/Foto: Reprodução

Em família

Aparecida é irmã da recém- nomeada secretária de Assistência Social e Direitos Humanos, Zilmar Rocha. Ambas têm o apoio da vice-governadora Mailza Assis, da deputada federal Socorro Neri e do deputado estadual Nicolau Júnior.

Páreo duro

Também do Progressistas, aparece o nome da vereadora Eliane Abreu, que ficou conhecida no estado inteiro após ter sofrido ameaças do também vereador Gilvan Souza (PC do B) durante sessão na Câmara. Ele perdeu o mandato por conta da situação.

No alvo

O Progressistas, inclusive, pretende aumentar o número de Prefeituras no ano que vem. Atualmente, o partido tem 10 prefeitos nos municípios do Acre. O partido do governador está de olho em locais como Acrelândia, Bujari, municípios que não tem prefeitos progressistas.

De olho!

Alguns gestores da administração pública estão no radar do Ministério Público após inaugurar casas em condomínios de luxo no Acre. São casas milionárias, com piscina, hidromassagem, quadra de tênis e um aparato de segurança. Fica aqui como aviso: futuramente esses funcionários podem ser prejudicados e obrigados a devolver dinheiro aos órgãos de controle. É um filme antigo! Tem gente com cargo comissionado nadando na grana.

Dino no STF

Nesta semana, o presidente Lula indicou o ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino, para a vaga em aberto do Supremo Tribunal Federal. A indicação rendeu elogios de políticos acreanos de esquerda, que comemoram a decisão. Foram eles: Perpétua Almeida, atual diretora da ABID, Jorge Viana, presidente da Apex e Marina Silva, ministra do Meio Ambiente;

Ministro no Acre

Dino esteve no Acre neste ano, em maio, durante uma agenda em Brasiléia. Na época, Dino pediu que Mailza encaminhasse um recado ao governador Gladson Cameli, que não compareceu à agenda por motivos não esclarecidos pela sua assessoria de imprensa.

“Vice-governadora, quero que transmita um recado ao governador: gastem o dinheiro rápido, porque quando acabar, eu mando mais. O recurso é do Fundo Nacional de Segurança Pública. Queremos uma parceria real e não no papel”, afirmou.

Off

– A indicação de Dino ao STF foi ignorada pelo governador Gladson Cameli;
– Até a vice-governadora Mailza também não deu muita bola;
– Enquanto isso, a indicação despertou a ira do senador Marcio Bittar;
– “Essa indicação não dá para engolir”, disse.
– Esse não é o primeiro ministro de Lula alvo de críticas feitas por Bittar;
– Também nesta semana, durante a reunião da CPI das ONGs, Bittar travou um debate caloroso com a ministra Marina Silva;
– Relator da CPI, Bittar não entrou em consenso com a ministra sobre o Fundo Amazônia, que conta com bilhões para investimento na região;
– Além disso, os dois também não concordaram com a situação das Reservas Extrativistas da Amazônia;
– Bittar ainda falou, na frente de Marina, sobre o repasse milionário para uma ONG que teria ligação com a ministra;
– O clima esquentou entre os dois políticos do Acre;

PUBLICIDADE