19.3 C
Rio Branco
29 julho 2021 8:05 pm

Após confusão de informações, mulher dá viagem perdida ao Palácio: “Constrangida”

Marilene tem 43 anos e achou que poderia ser vacinada no mutirão do governo por conta de publicação equivocada da prefeitura

POR LEANDRO CHAVES, DO CONTILNET

A vendedora Marilene Nogueira, de 43 anos, precisou, na manhã desta sexta-feira (18), se ausentar do serviço por uma boa causa: receber a primeira dose da vacina contra a Covid-19, doença que já matou mais de 1.700 acreanos. Ela optou por ir até o mutirão em frente ao Palácio Rio Branco, no Centro da cidade, por ser próximo ao seu local de trabalho.

No entanto, nem tudo saiu como o esperado. A mulher deixou o local de vacinação sem a tão aguardada dose. Isso porque o mutirão promovido pelo governo do estado só vacina pessoas de 45 anos ou mais. Porém, ela havia sido informada, a partir de uma publicação da prefeitura de Rio Branco, que no Palácio a idade mínima havia descido para 40 anos nesta sexta.

Acontece que a prefeitura baixou a idade mínima em seus postos de saúde e incluiu, na lista de locais, o mutirão do Palácio, que, diferente dos demais pontos, é administrado pelo governo.

“Estou constrangida. Vim na esperança de tomar a vacina e eles, podendo agilizar, só burocratizam ainda mais. Sendo que não tem ninguém na fila. Já pedi pra sair do trabalho e aí eu chego aqui e, ao invés de, aplicarem a vacina me mandam procurar um posto de saúde”.

Ela lamenta que, no momento, não vai ter o tempo que precisa para procurar uma unidade básica porque já havia pedido liberação do trabalho. “Vou ter que contar novamente com a colaboração do patrão pra poder ir no bairro. Não sei quanto tempo vou demorar. Por enquanto não vou fazer isso, vou voltar pra casa sem a vacina”, lamentou a trabalhadora.

Assim como Marilene, outras pessoas também deram viagem perdida ao Palácio por conta do conflito de informações entre prefeitura e governo. De acordo com a técnica do Programa Nacional de Imunização no Acre, Carol Parente, que ajuda a coordenador o mutirão, a prefeitura errou anunciar que o Palácio vacinaria pessoas de 40 a 44 anos.

Ela afirmou que em nenhum momento isso foi pensado para o mutirão e que poderia faltar vacina para o público-alvo inicial caso incluíssem o novo grupo anunciado pelo município, o que geraria problemas ainda maiores, inclusive com possibilidade de intervenção do Ministério Público do Acre (MPAC), que tem ajudado a fiscalizar a execução do plano de vacinação.

Parente alertou ainda para a necessidade de imunizar 75% das pessoas de 45 anos ou mais antes de baixar a idade, o que só seria possível após dois ou três dias do início da vacinação desse público. O mutirão teve início na quinta (18) e termina às 8h de sábado (19).

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
É permitida sua reprodução total ou parcial desde que seja citada a fonte. Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.