26 de maio de 2024

Queda de avião em Manoel Urbano completa um mês nesta quinta-feira; veja o que se sabe

Sobreviventes, vítimas fatais, investigações, peso acima do permitido e tudo que se sabe até o momento

Queda de avião monomotor de pequeno porte em Manoel Urbano, interior do Acre, completa um mês nesta quinta-feira (18). A aeronave era do modelo Cessna Skylane 182, e transportava quatro homens e três mulheres, sendo 7 passageiros a bordo e o piloto, quando caiu a 1 km da cabeceira da pista de Manoel Urbano e estava saindo do município com destino à Santa Rosa do Purus.

Avião caiu em Manoel Urbano/Foto: Reprodução

As vítimas inicialmente foram transferidas de Manoel Urbano para Rio Branco no dia do acidente e foram acompanhadas por uma equipe multidisciplinar de pronto-socorro. Depois, foram transferidos na madrugada de 22 de março para o Centro de Tratamento de Queimados (CTQ), no Hospital 28 de Agosto, em Manaus.

Sobreviventes

A musicista Amélia Marques Rocha, de 28 anos teve 70% do corpo queimado, foi transferida em estado grave para o hospital do Amazonas e chegou a ser entubada, mas apresentou quadro de melhora.

O dentista Bruno Fernando dos Santos (36), marido de Amélia, também teve alta hospitalar.

LEIA: Casal estava entre as vítimas de queda de avião no Acre; mulher ficou em estado grave

Amélia Marques deu entrada em estado grave no Hospital de Manoel Urbano/Foto: Reprodução Instagram

A adolescente indígena Delisiane Salomão Calisto, (15), teve alta hospitalar no dia 25 de março. Ela viajou sendo transportada sem cinto de segurança, no local destinado às bagagens.

VEJA MAIS: Polícia identifica dono de avião que caiu no Acre e abre inquérito para investigar causas da tragédia

O piloto Roner Mendes, (59), o piloto da aeronave, teve 40% do corpo queimado e seguiu em estado grave.

SAIBA MAIS: Queda de avião vira pauta na Aleac e deputado defende piloto: “Culpa da empresa”

O jovem Mateus Jeferson Fonte, 26 anos, teve 80% do corpo queimado e pulou do avião no momento da queda. Ele era marido de Suanne Camelo, uma das vítimas fatais do acidente. Apenas ele retornou ao Acre após o acidente

LEIA TAMBÉM: Queda de avião: sobrevivente que pulou da aeronave e perdeu esposa recebe alta e retorna ao Acre

Suanne Camello e Matheus Jeferson/Foto: Reprodução Instagram

Vítimas fatais

O empresário Sidney Hoyle Vega (73), morreu no momento da queda e foi a primeira vítima fatal. Ele era um empresário que atuava no rama de embarcações e transporte no município de Santa Rosa do Purus e era bastante conhecido. Ele havia casado a filha no fim de semana anterior ao acidente.

LEIA TAMBÉM: Empresário é a vítima fatal de queda de avião no Acre; ele havia casado a filha no fim de semana

Sidney Hoyle no casamento da filha Lívia Hoyle/Foto: Arquivo/Lenno Azevedo

A empresária Suanne Camelo (30), teve 80% do corpo queimado e seguiu em estado grave, mas não resistiu aos ferimentos e faleceu no dia 27 de março.  Ela era moradora de Santa Rosa do Purus e proprietária de um dos maiores pontos comerciais da cidade e também era bastante conhecida pelos moradores da região.

VEJA: Morre a empresária Suanne Camelo, 2ª vítima fatal da queda de avião em Manoel Urbano

Jovem não resistiu aos ferimentos/Foto: Reprodução Instagram

Investigações

Por se tratar de um acidente aéreo, a responsabilidade da investigação é federal, e a Polícia Civil do Acre acompanhará os procedimentos oferecendo o suporte necessário.

O Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), no relatório inicial, apontou falha ou mau funcionamento do motor. Segundo a assessoria da aeronáutica, o teor do relatório inicial ainda pode ser alterado no curso da investigação. De acordo com o documento, a aeronave perdeu potência no moto logo após a decolagem. “A aeronave decolou no aeródromo de Manoel Urbano (SIMB), AC, com destino ao aeródromo de Santa Rosa do Purus (SSRA), a fim de realizar transporte de passageiros, com um tripulante e seis passageiros a bordo. Logo após a decolagem, a aeronave perdeu potência e realizou um pouso de emergência”, diz o histórico.

LEIA: Avião que caiu no Acre pode ter tido falha no motor ou mau funcionamento, aponta relatório inicial

As causas da queda da aeronave são investigadas pelo Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), que trabalha com objetivo de prevenir que novos acidentes ocorram. Quando concluída a investigação, o Relatório Final será publicado no site do CENIPA.

Peso acima do permitido

Segundo informações do site oficial da marca, o modelo que caiu é autorizado a transportar no máximo 4 pessoas, já contando com o piloto. A aeronave transportava 7 passageiros.

Além disso, a delegada Jade Dene, da Delegacia de Manoel Urbano, responsável pelas investigações da queda, informou que a aeronave não tinha autorização para atuar como táxi aéreo. Também nas investigações preliminares, a polícia confirmou a informação de que Delisiane viajou sendo transportada sem cinto de segurança no local destinado às bagagens.

VEJA: Com 7 a bordo, avião que caiu no Acre tinha capacidade para transportar apenas 4 pessoas

Ainda no site da Cessna, o Skylane tem uma distância de decolagem de 1,514 pés, uma carga útil de 1,110 libras, um alcance máximo de 915 nanômetros e uma velocidade máxima de 145 ktas. É um avião de médio porte da mesma fabricante da aeronave Grand Caravan que caiu em outubro do ano passado, em Rio Branco.

PUBLICIDADE
logo-contil-1.png

Anuncie (Publicidade)

© 2023 ContilNet Notícias – Todos os direitos reservados. Desenvolvido e hospedado por TupaHost