Rio Branco, Acre,





Homem é preso após matar e arrancar coração de travesti em SP: “Era um demônio”


Acusado foi preso e confessou ter assassinado e arrancado coração de travesti, na cidade Campinas; sorrindo, criminoso tentou 'justificar' a ação

IG

Um homem de 20 anos acusado de matar e retirar o coração de uma travesti foi preso nesta segunda-feira (21) pela Polícia Militar, em Campinas. Caio Santos de Oliveira confessou ter cometido o crime e ‘justificou’ alegando que a vítima era um “demônio”.

O caso aconteceu no Jardim Marisa, na região de Campo Belo. Segundo informações do jornal O Globo , o autor do crime teve relações sexuais com a travesti , que tinha como nome de registro Genilson José de Silva, de 35 anos, um pouco antes de cometer o assassinato, por volta das 4h30 de segunda. Oliveira ainda afirmou ter levado pertences do local do crime.

O corpo da vítima – com o rosto lesionado e o tórax aberto – foi encontrado pelos policiais, com uma imagem de um santo sobre ele, em um bar indicado pelo autor do crime. Já o coração de Jenilson estava enrolado em um pano, escondido debaixo de um guarda-roupas, na casa de Oliveira. Os objetos furtados durante a ação também foram encontrados no local, de acordo com o Batalhão de Ações Especiais de Polícia (Baep).

Sorrindo, acusado confessa ter assassinado e arrancado coração de travesti, em Campinas/REPRODUCAO/ G1

O acusado teria sido abordado depois que os policiais perceberam um comportamento suspeito do autor do crime, que se escondeu em um estabelecimento quando viu a viatura. Além disso, Oliveira ainda teria fornecido dados pessoais falsos aos policiais.

Segundo o boletim de ocorrência, o acusado ainda apresentava arranhões e escoriações pelo corpo, além de um ferimento na cabeça que parecia ser recente. Pressionado pelos questionamentos sobre os sinais, Oliveira acabou confessando o assassinato e levando os policiais até o local onde o corpo da vítima estava.

Sorrindo, o acusado procurou ‘explicar’ o assassinato a travesti na delegacia. “Ele era um demônio e eu arranquei o coração dele. É isso, entendeu? Não era meu conhecido. Conheci ele à meia-noite”, disse ao G1. O caso foi registrado como homicídio e furto pela 2ª Delegacia Seccional de Campinas.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários




Outras Notícias

Veja Também