Rio Branco, Acre,


Jovem que morreu com Covid-19 em hospital mandou áudio assustado

"Ele era uma pessoa muito incrível. Era um menino de coração muito bom. Muito querido, muito mesmo"

O jovem Leandro Santos Azevedo, 19, faleceu na última terça-feira (30), no Hospital de Campanha do Wet’n Wild, em Salvador, um dia após ter o resultado do exame positivo para Covid-19. Dois dias depois da morte do garoto, a família divulgou um áudio que ele enviou do hospital, pouco antes de morrer. Na mensagem, ele afirmou que ouviu que seria entubado e os médicos desligariam os aparelhos, em seguida.

A mensagem teria sido passada para Talita Fernandes, namorada de Leandro, e deixado o paciente muito preocupado, já que na conversa ele afirma estar bem melhor. Ele deu entrada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) no último domingo (28), com os sintomas da doença, e foi transferido para o Wet’n Wild no dia seguinte.

PUBLICIDADE

“Eles vão me entubar todo aqui, véi. Vão desligar o aparelho. […] Venha aqui amanhã”, disse em áudio o jovem Leandro Santos Azevedo. O áudio foi enviado para a namorada, Talyta Fernandes.
Durante a troca de mensagens, Talyta pergunta para Leandro como ele está. Como resposta, o jovem comenta sobre a entubação. Ela então pergunta: “Você está entubado?”. E ele responde, também por áudio, que não está entubado e pede para ela ir ao hospital no dia seguinte.

Talyta então pergunta o que Leandro está sentindo, e ele responde que está “bem melhor”. Em seguida, ele afirma que será entubado e que o aparelho seria desligado por três dias.

“Ele começou a sentir falta de ar. A gente mora perto e fomos para lá [para UPA]. Ele fez o teste de Covid-19 e deu positivo. A equipe então falou que ele teria que ficar internado. Ele ficou internado na UPA por pouco tempo e, em seguida, transferido para o hospital, no dia seguinte”, disse a namorada de Leandro ao G1.
Ela explica que o áudio foi mandando pelo namorado na noite de segunda. “Fui tentando deixar ele calmo. Fui dizendo que não ocorreria nada com ele. Ele começou a mandar fotos. Ele falou que iria dormir e continuei mandando mensagem para ele. A última mensagem que mandei, com uma corrente de oração, foi 1h da manhã”, afirmou.

“Quando a médica chegou, ela falou que Leandro vomitou. A médica disse que a saturação dele baixou e que por isso fizeram a entubação, quando deu parada cardíaca e ele morreu”, falou.

“Ele era uma pessoa muito incrível. Era um menino de coração muito bom. Muito querido, muito mesmo. Ele era um bom menino com a família. A gente tinha acabado de alugar uma casa. A gente iria morar junto. Infelizmente não aconteceu”, lamentou.

Por meio de nota, a SMS disse que “de acordo com o apurado junto à empresa Associação Saúde em Movimento (ASM), gestora do Hospital de Campanha do Wet’n Wild, não houve erro/negligência médica no atendimento ao paciente Leandro Santos Azevedo”.

Leia nota na íntegra:

“A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) informa que de acordo com o apurado junto à empresa Associação Saúde em Movimento (ASM), gestora do Hospital de Campanha do Wet’n Wild, não houve erro/negligência médica no atendimento ao paciente Leandro Santos Azevedo. Ainda segundo a ASM, devido a complicações do estado clínico do paciente, a equipe médica optou pela intubação do mesmo, uma vez que o tratamento com uso do respirador mecânico não estava surtindo efeito. Infelizmente, a piora clínica evoluiu rápido, apesar da utilização de toda estrutura assistencial disponível no leito de UTI da unidade. Ainda assim, uma equipe técnica da SMS responsável pela fiscalização das metas qualitativas dos atendimentos ofertados à população pelas empesas terceirizadas fará apuração dos fatos.”

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários


Recomendado para você

Últimas Notícias