25.3 C
Rio Branco
21 julho, 2021 12:05 pm
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Para sair da crise, jovem abre padaria e faz sucesso com pães no formato de jacaré

Hudson Pacheco começou o ofício aos 18 anos, ajudando os tios, e foi lá que aprendeu a fazer o pão com formato irreverente. Dez anos depois, com a pandemia, resolveu investir no negócio próprio

POR G1

Pão de massa grossa, massa fina, pão doce ou de chocolate são alguns dos itens que naturalmente se encontra em qualquer padaria. Mas na do padeiro Hudson Pacheco, é o “pão de jacaré” que faz sucesso e que alavancou os negócios do jovem.

“Comecei a fazer pão com 18 anos, ajudando meus tios. Foram eles que me ensinaram tudo o que eu sei hoje. E um deles, eu lembro, fazia o pão no formato de um jacaré. Eu fiquei com aquilo, né? Guardei aquilo que aprendi, mas logo nos afastamos e fui tentar outras coisas”, contou.

Com a crise imposta pela pandemia, o homem, atualmente com 28 anos, viu como oportunidade reviver a profissão da juventude. Foi, então, que ele resolveu abrir um negócio próprio inspirando naquilo que sabia fazer: pão. Para o cardápio, além dos itens tradicionais, a receita aprendida do tio.

Mas, de imediato, pouca gente sabia. O negócio começou pequeno e o item que mais tinha saída no comércio era o pão de cebola. Foi aí que uma amiga da esposa do padeiro resolveu divulgar o trabalho dele em um grupo do bairro, especialmente o pão de jacaré.

Hudson aprendeu a fazer o formato com o tio.  — Foto: Matheus Castro/G1
Hudson aprendeu a fazer o formato com o tio. — Foto: Matheus Castro/G1

“Uma sobrinha minha me ajudou a abrir a padaria, me deu essa chance. Aí comecei a fazer os pães e pouca gente sabia que eu fazia esse pão no formato de jacaré. Era uma encomenda ali, outra aqui. Foi então que eu mostrei para uma amiga da minha esposa e ela divulgou no grupo aqui do Lírio do Vale. Aí um outro amigo dela veio, pediu para fazer um meme com o pão e eu deixei”, contou.

O efeito foi imediato. Depois da divulgação no grupo do bairro e também na internet, muita gente começou a procurar a padaria de Hudson para encomendar o pão de jacaré. O tio que ensinou o jovem foi um dos que viram o trabalho e ligou para ele. Mas, para dar uma bronca.

“Meu tio é meio ranzinza. Ele botava quente em cima da gente [risos]. Aí fazia quatro anos que a gente não se falava e ele viu na internet o pão. Foi quando ele me ligou e disse: ‘Olha, eu vi o jacaré. Mas, Hudson, esse jacaré tá veio. Vem cá que eu te ensino fazer melhor'”, contou aos risos. 

E os recheios são os mais variados possíveis.  — Foto: Matheus Castro/G1
E os recheios são os mais variados possíveis. — Foto: Matheus Castro/G1

Desde a divulgação, o pão é o carro-chefe do negócio. Ao G1, Hudson contou que, antigamente, fazia de dois a três pães por dia. Hoje, a produção aumentou em 100% e ele resolveu expandir os sabores da maravilha.

“Tem muita gente encomendando. Estou fazendo em média de 30 a 40 pães por dia e a procura é muito grande. Resolvi fazer outros sabores também. Tem o doce, o de queijo com presunto, com gergelim, faço também recheado com doce de leite, chocolate. É variado e muita gente também procura sabendo se entregamos, mas ainda não temos motoboy pra fazer esse serviço. Quem sabe em breve”, finalizou o jovem.

Negócio começou há dois meses, como uma alternativa para fugir da crise.  — Foto: Matheus Castro/G1
Negócio começou há dois meses, como uma alternativa para fugir da crise. — Foto: Matheus Castro/G1
Os artigos são de responsabilidade exclusiva dos autores. É permitida sua reprodução, total ou parcial desde que seja citada a fonte.